O faturamento da Ambev é um dos mais representativos do mercado de capitais
Por: Tiago Reis

Faturamento da Ambev: uma das empresas mais eficazes do planeta

O faturamento da Ambev é um dos mais representativos dentro da dinâmica do mercado de capitais brasileiro, e isso pode ser fortemente constatado através dos seus resultados referentes ao quarto trimestre de 2017.

Além do faturamento da Ambev servir como referência para muitas companhias ao redor do planeta, o seu modelo de gestão focado na meritocracia e na redução constante de custos operacionais também fazem da empresa um case de referência que é estudado por muitos especialistas em produtividade e aumento de performance.

Em relação aos seus números, o lucro líquido da Ambev chegou a R$ 3.299 milhões no quarto trimestre de 2017, 31,7% menor do que no 4T16, enquanto ajustado por itens não recorrentes, o lucro liquido cresceu 23,2%, atingindo R$ 4.506 milhões.

No ano, o lucro liquido da Ambev diminuiu 40,0% para R$ 7.851 milhões, enquanto ajustado pelos itens não recorrentes, o lucro liquido aumentou 2,1% para R$ 12.200 milhões.

Faturamento da Ambev – Justificativas

Este aumento se deve basicamente ao sólido aumento do volume vendido em todas as frentes da operação da empresa se comparado ao último trimestre.

No Brasil, os volumes cresceram 2,9%. Na América Latina Sul os volumes cresceram sólidos 5,8%.

Já na América Central e Caribe o volume cresceu organicamente 4,3%. E, no Canadá, a queda de volume de 0,7% foi mais do que compensada por um aumento da rentabilidade.

Além do aumento do volume, a empresa conseguiu aumentar ainda mais sua rentabilidade e margens, o que demonstra grande competência da gestão.

Rentabilidade e Margem EBITDA

A empresa apresentou aumento de receita por hectolitro vendido (ROL/hl) em todas as suas operações, o que mostra muita assertividade nas decisões de sua gestão.

Receita líquida referente ao faturamento da Ambev no 4T17
Fonte: Release da Ambev 4T17

No Brasil a receita liquida por hectolitro (ROL/hl) aumentou 10,7%.

Já na América Latina do Sul o indicador subiu 15,9%, ao passo que na América Central e Caribe cresceu 8,3%, e no Canadá houve aumento de 1,9%.

Este fator é crucial para a empresa, pois assim além de vender mais com o aumento de volume a empresa também ganha mais por hectolitro vendido. Isto é um grande potencializador para os seus resultados.

Estes fatores levaram a empresa a aumentar ainda mais o seu Ebitda e a sua margem EBITDA.

Ebitda e Margem Ebitda referente ao faturamento da Ambev no 4T17
Fonte: Release da Ambev 4T17

Dessa maneira, o Ebitda ajustado foi de R$ 7.296 milhões (+22,0%) no trimestre, com uma expansão da margem Ebitda de 3%. No resultado do ano, o Ebitda foi de R$ 20.148 milhões (+7,9%), com uma pequena queda de margem Ebitda de 0,60%.

Também no 4T17, as despesas com vendas, gerais e administrativas (SG&A) e o SG&A excluindo depreciação e amortização aumentaram 15,7% e 15,1%, respectivamente, principalmente devido a maiores despesas administrativas.

Ainda em 2017, esses dois mesmos parâmetros aumentaram 6,1% e 6,3%, respectivamente, em linha com a inflação média ponderada dos países em que a companhia opera (aproximadamente 6,1%), ou seja, a empresa prova ser eficiente em manter seus custos controlados.

Fluxo de caixa e dividendos

O fluxo de caixa das atividades operacionais chegou a R$ 8.901 milhões no trimestre e a R$ 17.874 milhões no ano, o que representa um aumento de 44,8% quando comparado ao resultado de 2016.

Ainda, em 2017 a companhia retornou a seus acionistas R$ 8.482 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio e, em 31 de dezembro de 2017, a sua posição liquida de caixa era de R$ 7.812 milhões.

Vale ressaltar que este valor não inclui o pagamento de dividendos de R$ 0,07 por ação (aproximadamente R$ 1,1 bilhão) anunciado em 21 de dezembro de 2017, e realizado a partir de 22 de fevereiro de 2018.

Conclusão

A Ambev mais uma vez apresentou um excelente resultado ao mercado, com crescimento trimestral em várias métricas no resultado ajustado por eventos não recorrentes, tais quais: vendas, margem, lucro e receita.

Assim sendo, a empresa prova ter uma excelente gestão e sua capacidade de gerar valor ao acionista.

Não há dúvidas que é uma excelente empresa, uma das mais eficientes do mundo.

No entanto, entendemos que seja necessário que o ativo esteja em um bom preço de entrada para que o acionista faça um bom negócio ao se associar à companhia.

Por fim, nós disponibilizamos um relatório completo no qual entramos em mais detalhes sobre o faturamento da Ambev e as várias características positivas presentes em seu modelo de operação

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

208 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs
Frame

NÃO VÁ EMBORA AINDA...

Inscreva-se e receba Grátis conteúdo exclusivo sobre Poupança, Ações, Economia e muito mais!