etf

Aplicar em fundos de investimento sempre foi uma das principais opções disponíveis ao investidor no mercado financeiro. Antigamente, esse produto financeiro ficava restrito às gestoras de investimento. Porém, hoje em dia é possível entrar em fundo com a mesma facilidade com que se compra uma ação. São os chamados “fundos de índice” – também conhecidos pela sigla ETF (Exchange Traded Fund).

Por ser um produto listado diretamente na bolsa, o ETF rapidamente se destacou como uma alternativa mais simplificada e acessível de fundo de investimento. Por isso, esse tipo de investimento vem ganhando cada vez mais popularidade e se multiplicando nos mercados do mundo inteiro – inclusive no Brasil.

O que é ETF?

O Exchange Traded Fund (ETF) é um tipo de fundo de investimento com cotas negociáveis em bolsa. Sua carteira é composta por uma cesta de ações de empresas do mesmo segmento, ou com alguma característica em comum. Por essa razão, os ETFs também são conhecidos no Brasil como fundos de índice.

Por serem listadas na Bolsa, as cotas de um ETF pode ser comprado ou vendido livremente, como qualquer outra ação disponível do pregão. Ou seja, ao contrário de um fundo de investimento tradicional, onde é necessário adquirir cotas de participação diretamente com gestora do fundo, os ETFs são abertos ao mercado, permitindo que o investidor entre ou saia do fundo quando quiser.

Principais características e vantagens dos ETFs

Carteira referenciada

Todo ETF é formado por um conjunto de ações relacionadas entre si, já que o objetivo desse tipo de investimento é “seguir” a performance de um determinado índice de mercado – como o Ibovespa, por exemplo. Logo, na maioria das vezes a carteira de um ETF “replica” a composição desse índice.

Facilidade de investimento

As cotas de um ETFs são negociadas abertamente na bolsa. Logo, qualquer interessado pode investir ou sair do fundo quando desejar. Para isso, basta apenas comprar ou vender o ETF no mercado através de uma operação comum, via corretora.

Maior liquidez

Por ser negociado no mercado, o investidor consegue vender suas cotas e realizar seu investimento a qualquer momento. Essa facilidade faz do ETF um produto com uma liquidez maior do que os fundos tradicionais – já que esses estabelecem diversos limites para resgates e saídas de cotistas.

Menor custo operacional

Os ETFs costumam ter menores taxas de administração, quando comparado a outros fundos de investimento. Além disso, o custo de adquirir uma conjunto de ações só apenas uma ordem de compra é menor do que comprar cada uma separadamente

Possibilidade de diversificação

Por ser uma cesta com diversas ações diferentes, o ETF já oferece naturalmente uma boa diversificação de ativos. Ao comprar um ETF, o investidor adquire uma carteira de ações já balanceada, que apresenta um risco médio menor do que apenas uma única ação.

Maior acessibilidade

O ETF permite acesso a diferentes tipos de ativos em uma única operação. Dessa forma, é possível investir em ativos que antes poderiam ser inacessíveis ao investidor – como ativos com um custo de aquisição alto ou ações de empresas internacionais, por exemplo.

Atualização e transparência

A composição da carteira e todas as demais informações sobre um ETF são disponibilizadas ao mercado de forma clara e aberta. Além disso, por ser um ativo negociado em bolsa, o investidor consegue acompanhar exatamente quanto vale sua cota a qualquer momento.

Principais ETFs listados na B3

Atualmente, existem 15 ETFs diferentes em negociação na B3, a bolsa de valores brasileira. Dentre eles, os principais são os seguintes:

Além disso, a B3 também disponibiliza dois ETFs referenciados por ações estrangeiras: o iShares S&P 500 (BVMF: IVVB11) e o It Now S&P 500 (BVMF: SPXI11). Ambos seguem o índice Standard & Poor’s 500 do mercado americano.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.