downsizing

Em um mercado cada vez mais exigente e competitivo, é necessário que todo negócio procure constantemente se tornar mais eficiente. Para isso, muitas empresas vem adotando uma técnica de reorganização operacional conhecida como downsizing.

A ideia principal do downsizing é formular um plano para que a empresa funcione da forma mais enxuta possível – reduzindo seus custos e processos de produção, mas sem comprometer o seu resultado final.

O que é downsizing?

O downsizing é o conjunto de práticas administrativas que visam diminuir gastos, eliminar processos desnecessários e aumentar a eficiência de uma empresa de forma geral. O próprio termo, que significa “redução”, dá uma ideia sobre a natureza do downsizing – já que este faz uma reestruturação de tudo aquilo que pode prejudicar o crescimento e desenvolvimento da empresa.

A aplicação do downsizing, portanto, é de fundamental importância para a sobrevivência de qualquer empesa. Por meio dessa prática, o negócio consegue diminuir suas despesas sem alterar significamente sua produção – resultando em uma operação mais produtiva, lucrativa e adequada ao propósito da empresa.

Quais são os resultados do downsizing?

Ao aplicar a estratégia de downsizing, uma empresa pode obter os seguintes resultados:

  • Reduzir os custos e despesas operacionais da empresa;
  • Aumentar a produtividade geral do negócio;
  • Agilizar o processo de tomada de decisões pela gestão da empresa;
  • Melhorar os critérios de análise do desempenho pessoal;
  • Otimizar os processos de produção, reduzindo custos com matérias-primas e trabalhadores;
  • Focar mais necessidades do cliente, e não nos processos internos.
  • Estabelecer uma comunicação mais eficaz, tanto internamente quanto externamente;

Como funciona a implementação do downsizing?

Para implantar o downsizing em uma empresa, é preciso que os proprietários a gestão da empresa aplique as seguintes medidas:

  • Analisar e classifciar os custos totais de produção da empresa pelo seu nível de importância, cortando ou substituindo aqueles que não são significativos;
  • Reestruturar e simplificar o a estrutura organizacional da empresa, procurando diminuir o número de cargos e níveis hierárquicos;
  • Horizontalizar as decisões internas de empresa, aproximando os líderes de suas equipes e distribuindo responsabilidades para mais pessoas, através do processo de empowerment;
  • Cortar cargos e postos de trabalho que não tenham um nível de contribuição e eficiência suficiente;
  • Estudar a viabilidade de terceirizar de serviços sem relação com a atividade-fim da empresa – como contabilidade, assessoria jurídica, zeladoria, segurança, manutenção, entre outros;
  • Implementar métricas e índices de produtividade para monitorar a performance de todas as áreas e processos da empresa;
  • Estabelecer critérios de avaliação pessoal para observar o desempenho dos colaboradores;

Para ajudar a empresa nesse processo, é recomendável contratar um serviço de consultoria especializado em reorganização empresarial. Dessa forma, o downsizing é realizado com um alto grau de profissionalidade, garantindo que os resultados sejam plenamente alcançados.

Consequências negativas e críticas feitas ao downsizing

Embora o “achatamento” organizacional promovido pelo downsizing tenha sido adotado pela maioria das empresas em todo o mundo, nem sempre esse processo é bem recebido. Isso se deve aos efeitos negativos de curto prazo que o método pode acarretar, principalmente quando ele é mal aplicado. Alguns deles são:

  • Insegurança e desmotivação entre os colaboradores, devidos as demissões e dispensa de pessoal que o downsizing pode promover;
  • Perda de capital humano qualificado e especializado na operação da empresa;
  • Prejuízos na imagem da empesa junto à sociedade;
  • Piora no ambiente de trabalho e baixa na produtividade entre os funcionários;
  • Queda na qualidade dos serviços prestados, principalmente devido a terceirização de serviços;
  • Despesas com dispensa de funcionários, como pagamento de recisões, acertos, acordos de desligamento, FGTS, entre outros.

Por isso, antes de realizar o downsizing, toda empresa deve estudar criteriosamente cada etapa do processo. Dessa forma, os efeitos negativos da reorganização da empresa são atenuados e o resultado é alcançado da melhor forma possível.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.