Acesso Rápido

    DMPL: o que é a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido?

    DMPL: o que é a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido?
    dmpl

    Para que uma empresa seja bem-sucedida, é imprescindível que suas contas sejam controladas de forma eficiente. Uma das ferramentas dessa gestão financeira é a DMPL.

    DMPL é a sigla para Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido. Sua função tem a ver com o gerenciamento de recursos de uma organização — mais especificamente do seu do patrimônio líquido, como sugere o nome.

    O que é DMPL?

    A DMPL é um relatório contábil que demonstra as mudanças no patrimônio líquido de uma empresa em determinado período. A demonstração registra a movimentação dos recursos da empresa — expondo de forma clara de onde eles vêm e para onde eles vão durante o exercício.

    A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determina que a Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido seja publicadas pelas empresas de tipo capital aberto. Essa determinação se encontra na instrução n. 59/1986.

    Minicurso: Contabilidade para Investidores

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito e aprenda os principais conceitos de contabilidade para quem quer investir em empresas na Bolsa de Valores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Para quê serve a DMPL?

    Antes de saber como funciona a DMPL, é necessário estar ciente de que sua principal função é monitorar as finanças da empresa. Portanto, o objetivo da DMPL está ligado diretamente ao controle do fluxo de caixa.

    Por isso, algumas das funções da DMPL são:

    1. Acompanhar a evolução do patrimônio da organização;
    2. Monitorar a influência deste patrimônio (valor) no mercado;
    3. Determinar estratégias para o crescimento da empresa no mercado.

    Como fazer a DMPL?

    dmpl

    Um modelo de DMPL envolve primeiramente uma tabela. Nessa tabela, cada conta do patrimônio líquido da organização corresponde a uma coluna.

    A última das colunas da tabela do modelo de DMPL é reservada ao resultado final. O próximo passo é registrar os números nas colunas, sendo que em cada linha ficam os dados de cada transação.

    O modelo se divide em:

    1. Reservas de capital: valores monetários que fazem parte do capital social da organização. Se não houver reserva de lucro, ocorre sua compensação em forma de lucro acumulado;
    2. Reservas de lucro: baseadas no lucro líquido do exercício, conforme determinações administrativas;
    3. Lucros ou prejuízos acumulados: têm a ver com os acionistas da organização. Mais especificamente, o prejuízo que podem sofrer ou os lucros mínimos que podem obter. Esse dado muda de acordo com os resultados da gestão da empresa.

    Estrutura da DMPL

    Sendo assim, pode-se dizer que a estrutura da DMPL costuma seguir o seguinte modelo:

    • Saldos do começo do período considerado;
    • Ajustes de exercícios anteriores;
    • Capital acrescido;
    • Compensações relacionadas a prejuízos;
    • Destinação, no exercício, do lucro líquido;
    • Como os lucros são distribuídos;
    • Avaliação de ativos;
    • Diminuição do capital;
    • Resultado líquido obtido no exercício;
    • Reversão de reservas e lucros, bem como transferências destes;
    • Saldos obtidos quando da finalização do exercício.

    Entendendo a DMPL na prática

    Um exemplo de DMPL de uma empresa X, portanto, pode ser uma tabela com as colunas:

    • Descrição;
    • Capital social;
    • Lucros ou prejuízos acumulados;
    • Reserva de lucros;
    • Patrimônio líquido.

    E as linhas:

    • Saldo inicial em X data, contendo o lucro líquido do exercício e a distribuição dos lucros;
    • Saldo em Y data (após 1 ano), contendo o lucro líquido do exercício, a distribuição dos lucros e os lucros a distribuir;
    • Saldo final em Z data (após 1 ano).

    Diferenças e semelhanças entre DMPL e DFC

    Por se tratarem de demonstrações de movimentação financeira, pode-se dizer existe uma certa relação da DMPL com a Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC). Porém, existe uma grande diferença entre DMPL e DFC.

    DFC apresenta entradas e saídas do caixa da empresa em certo período, e o resultado dessas movimentações. Toda sociedade de capital aberto deve realizar a DFC, ou então a que tenha patrimônio líquido maior que R$ 2 milhões.

    Já os dados da Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido servem como complemento ao Balanço Patrimonial da organização, a exemplo do relatório DFC. Este demonstra as condições em que se encontra o patrimônio em certo período.

    A DMPL de uma companhia aberta é um documento contábil disponível para a análise de qualquer investidor. Acesse o nosso ebook gratuito sobre Contabilidade para Investidores e entenda melhor sobre como utilizar a contabilidade para avaliar a qualidade de uma empresa. 

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    4 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Ralisson 6 de outubro de 2019

      Bom dia, gostei muito do artigo e grato por enriquecer meu conhecimento, gostaria de apenas deixar uma observação sobre o trecho abaixo:

      “Antes de saber como funciona a DMPL, é necessário estar ciente de que seu principal função é monitorar as finanças da empresa.”

      “SEU” é pronome possessivo masculino e “FUNÇÃO” é substantivo feminino, logo estes estão em desconcordância no texto.

      Responder
      • Suno Research 7 de outubro de 2019

        Obrigado pelo aviso, corrigido.

        Responder
    • Lucia 14 de fevereiro de 2020

      muito bom eu entendi as explicação , eu preciso fazer uma planilha

      eu gostaria de saber se a empresa de pequeno porte é obrigada a apresentar DMPL

      Responder
      • edson 27 de abril de 2020

        Pelo itg 1000, teve muitas mudanças, e para estas empresas não são obrigadas porem o CRC/CFC incentivam a pratica destas informações

        Responder