Acesso Rápido

    Direitos de Subscrição – Parte 2

    Direitos de Subscrição – Parte 2

    Como sabem, o Fiikipedia é um ambiente colaborativo. Na semana passada, convidei o João Victor para falar sobre dúvidas referente aos Direitos de Subscrição. Foi publicada a primeira parte do artigo e, hoje, disponibilizamos a segunda. É importante reforçar que o João Victor possui 18 anos, faz pré-vestibular para Engenharia de Produção e tem uma página no Instagram (@desbravando_o_mercado).

    Vejamos então a segunda parte do artigo:

    Quando o Direito de Preferência vira “cota”?

    Você fez tudo que tinha que fazer (já exerceu os Direitos, já pagou pela Subscrição e já recebeu o Recibo). Cabe agora esperar uma data que, via de regra, não é informada sempre com antecedência porque dependerá de trâmites operacionais entre o Administrador e B3. Na média, demora entre 15 e 30 dias após o encerramento completo da oferta. Vale ponderar que, enquanto você tiver com os recibos em custódia, você receberá dividendos equivalentes à posição de caixa.

    Tipos de Ofertas

    – Oferta Pública (ICVM 400)

    Estas são emissões onde qualquer tipo de investidor poderá ter acesso. Em boa parte dos casos, os Direitos de Preferência são negociáveis até como forma de dar a oportunidade de os investidores comprarem mais ou venderem o excesso o qual não será exercido.

    As Ofertas Públicas exigem que seja publicado um Prospecto com informações mais detalhadas. No caso dos fundos imobiliários, é bem comum encontrarmos a destinação de recursos (pipeline) bem como o estudo de viabilidade com indicações das rentabilidades futuras após alocação dos ativos-alvo.

    – Oferta Restrita (ICVM 476)

    Ela é chamada desta forma, pois esse tipo de emissão é acessível apenas para investidores profissionais, os quais possuem um patrimônio maior do que R$ 10 milhões ou certificações específicas no mercado de capitais.

    Entretanto, é muito importante reiterar que os cotistas do fundo, independentemente de seu patrimônio ou qualificação técnica (certificação), terão seus Direitos de Preferência assegurados – apenas os direitos que não forem exercidos é que sejam oferecidos aos investidores profissionais / institucionais.

    Vale ainda destacar que, nesse tipo de emissão de cotas, não há obrigatoriedade de publicação de Prospecto face às menores exigências pelos próprios órgãos reguladores. Obviamente, os custos de uma Oferta Restrita são bem inferiores, além do fato de os trâmites burocráticos serem mais ágeis.

    Tipos de Rateios

    Rateio nada mais é do que uma divisão de cotas.

    Na prática, quando a demanda por cotas é maior do que a quantidade de cotas ofertadas, há um rateio, ou seja, uma divisão das cotas entre os investidores interessados.

    Exemplo: Imagine que o Fundo SUNO11 fez uma emissão de novas cotas. Eu, como cotista pedi, por exemplo, 300 cotas, porém outros investidores também pediram um número específico de cotas. Em alguns casos, o número de cotas solicitadas é maior do que a quantidade de cotas ofertadas. Nesse sentido, não tem cota pra todo mundo, tendo, consequentemente, uma necessidade de Rateio (divisão). Eu, João Victor, pedi 300 cotas, mas só recebi 150, pois a demanda foi maior do que a oferta. Nesse sentido, teve 50% de rateio, ou seja, os investidores receberam metade das cotas solicitadas.

    Minicurso: Aprenda a Investir em Dividendos

    Inscreva-se no nosso minicurso online gratuito sobre investimento em dividendos mais acessado do Brasil e junte-se a mais de 10.000 Alunos!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Vamos aos tipos:

    – Rateio proporcional

    Esse tipo de rateio é o mais comum de se ver. Ele se baseia em, o cotista que solicitou um certo número de cotas vai receber uma quantidade proporcional entre cotas pedidas e cotas disponíveis.

    – Rateio linear

    Esse tipo de rateio é menos usado. Ele tenta tornar essa divisão de cotas entre os investidores mais igualitária, principalmente quando as ofertas são públicas, as quais não tem um público alvo, ou seja, qualquer investidor pode entrar nesse tipo de oferta, tendo, consequentemente, mais investidores solicitando cotas.

    Para entendermos melhor esse tipo de rateio, peguei um exemplo excelente do site Ticker11.

    Imagine que você é o dono de um baralho de cartas e convida 5 amigos para jogar um jogo com aquelas cartas.

    Ao iniciar o jogo, cada jogador pede um número específico de cartas, porém, para tornar o jogo mais igualitário entre os participantes, você, dono do baralho, distribui uma carta de cada vez para cada jogador até que todos recebam o total de cartas solicitadas ou até que as cartas do baralho acabem.

    Na vida real não é muito diferente.

    Exemplo: Digamos que existem 100.000 cotas disponíveis e 5 reservas de investidores diferentes. Ao dividir 100.000 por 5, chegamos em um resultado de 20.000 cotas para serem distribuídas por vez. Quem pediu, por exemplo, 3.000 cotas já conseguiu o total solicitado. Esse investidor não poderá pedir mais cotas, ele simplesmente “sai do jogo”. Em contrapartida, os investidores que ainda não conseguiram o total de cotas solicitadas, esperam a “próxima rodada”. Na próxima rodada, o cálculo é refeito e o tudo se repete.

    https://ticker11.com.br/o-que-e-o-rateio-linear/

    • Fontes que eu usei como forma de estudo:

    https://ticker11.com.br/o-que-e-o-rateio-linear/

    http://www.cvm.gov.br/legislacao/instrucoes/inst400.html

    http://www.cvm.gov.br/legislacao/instrucoes/inst476.html

    Conclusão

    Agradeço, mais uma vez, ao Professor Baroni e ao time da Suno Research pela oportunidade de compartilhar um pouco do meu conhecimento sobre FIIs com vocês. Agradeço também ao Mateus, do @tiofiis, que me ensina muita coisa sobre Fundos Imobiliários e que boa parte do meu conhecimento foram eles que me ensinaram. Foi uma honra. Muito Obrigado!

    Reforçando nossa dica valiosa da semana passada:

    Tem um site excelente para acompanhamento das datas mais importantes relacionadas às ofertas públicas iniciais bem como das emissões subsequentes (follow-on):

    https://ticker11.com.br/emissoes/

    Marcos Baroni
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Carine 9 de outubro de 2020

      Excelente artigo!
      Como sempre objetivo e didático!
      O que é de suma importância visto a complexidade do tema!
      Parabéns! Sensacional!

      Responder