Acesso Rápido

    O que são debêntures conversíveis e como funciona esse tipo de título?

    O que são debêntures conversíveis e como funciona esse tipo de título?

    Debêntures são títulos privados de renda fixa que funcionam como uma espécie de empréstimo para uma empresa. Com elas, um negócio consegue se capitalizar ao emitir e vender títulos de dívida, prometendo devolver o capital investido com o acréscimo de uma taxa de rentabilidade. Porém, em algumas situações, uma debênture pode recompensar seu investidor de outras formas além do pagamento de juros. Isso ocorre, por exemplo, no caso das debêntures conversíveis.

    Mesmo não sendo tão populares, as debentures conversíveis são uma alternativa menos arriscada para investir em empresas, já que elas apresentam mais de uma forma para remunerar o investidor.

    O que são debêntures conversíveis?

    Debêntures conversíveis são uma modalidade de debênture que podem ser trocadas por ações da companhia emissora. Ou seja, ao contrário de uma debênture não-conversível, que devolve diretamente o valor aplicado com o acréscimo de juros, a debênture conversível também pode pagar seus investidores oferendo uma participação acionária na empresa.

    Ou seja, esse tipo de debênture apresenta a possibilidade de “converter” o que antes era uma dívida em ações da empresa. Por unirem, no mesmo ativo, a remuneração via pagamento de dívida ou por participação acionária, as debentures conversíveis são vistas pelo mercado como um “misto” de título de crédito com ação.

    Dessa forma, ao adquirir esse tipo de debênture, o investidor acaba ganhando uma opção a mais para receber seu investimento de volta. Por isso, pode-se dizer que as debentures conversíveis funcionam como uma forma de reduzir o risco do investimento em uma empresa.

    Logo, se a companhia não possuir dinheiro suficiente no futuro para honrar a dívida, o debenturista ainda tem a possibilidade de se tornar acionista ordinário ou preferencial da empresa – de acordo com as condições de conversão da debênture oferecidas.

    Vantagens das debêntures conversíveis

    • Ser uma das poucas opções de financiamento à longo prazo para empresas;
    • Possibilitar a captação de grandes volumes de capital;
    • Proporcionar a adequação do fluxo de caixa da empresa emissora;
    • Reduzir o risco do investimento, aumentando a demanda pela debênture no mercado;
    • Apresentar um custo mais baixo que as formas de financiamento, pagando juros menores do que as próprias debêntures convencionais;
    • Permitir a dedução dos juros e prêmios pagos das despesas da emissora;
    • Ser um título com boa liquidez para negociação, tanto no mercado primário quanto no mercado secundário;
    • Baixo custo de operacionalização, quando comparado a outras taxas bancárias;
    • Ter o seu valor básico atualizado constantemente, pelo preço da ação da empresa emissora.

    Como funciona a emissão de debêntures conversíveis

    A decisão por emitir de debêntures é tomada pela empresa em assembleia geral de acionistas ou pelo reunião do Conselho de Administração da emissora. Também é decidido, no mesmo processo, quais serão todas as condições da emissão.

    Mas antes isso, a companhia deve antes fazer uma criteriosa análise de suas necessidades de caixa. Esse estudo é importante principalmente para saber se a empresa terá condições de pagar as debêntures no seu resgate. Ou seja, a companhia precisa avaliar se os custos do lançamento são compatíveis com remuneração que as debêntures vão proporcionar à empresa.

    Com isso, a empresa emite uma escritura de escritura de emissão, que deve apresentar as seguintes informações:

    • Número de ações em que poderá ser convertida cada debênture;
    • A relação entre o valor nominal da debênture e o preço de emissão das ações;
    • A classe e espécie das ações a serem convertidas;
    • O prazo de conversão ou período especifico para exercer o direito.

    Logo após, a companhia deve escolher uma instituição financeira para estruturar o processo de emissão das debêntures conversíveis. Essa instituição será responsável pela registrar, modelar, divulgar e coordenar toda a operação junto ao mercado.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *