day trade no imposto de renda
Por: Tiago Reis

Day trade no Imposto de Renda: como declarar essa operação?

O day trade é uma alternativa utilizada por muitas pessoas para tentar aproveitar oportunidades de curtíssimo prazo na bolsa de valores. Mas mesmo com a popularidade desse tipo de operação, uma dúvida ainda é muito comum entre os investidores: como declarar os ganhos realizados com day trade no Imposto de Renda?

Assim como qualquer outro rendimento, o lucro com a compra e venda de ativos no mesmo dia também conta como renda tributável para a Receita Federal. Mas é necessário ter atenção: já que a declaração de day trade no Imposto de Renda é diferente dos demais investimentos em renda variável.

Como declarar operações de Day Trade no Imposto de Renda?

A declaração de ganhos com day trade no Imposto de Renda precisa ser feita mensalmente. A alíquota do imposto é de 20% sobre a soma dos rendimentos obtidos no mês, independentemente do valor. Não existe isenção de imposto sobre operações de day trade.

Guia do Imposto de Renda para Investidores

Para declarar o imposto, o investidor precisa preencher uma DARF e pagar o valor devido até o último dia útil do mês subsequente. O código da operação é 6015 para pessoas físicas e 3317 para jurídicas.

A declaração precisa ser feita mesmo se o investidor não tiver lucro no mês. Nesse caso, devem ser informados os prejuízos.

Além dos ganhos, também devem ser declaradas todas posições atuais da carteira, seja com ações, opções e contratos futuros.

Retenção do imposto na fonte

A corretora que intermediou a operação de day trade é responsável por reter automaticamente 1% desse imposto. Esse valor é repassado diretamente para a Receita Federal.

No entanto, essa retenção na fonte não resulta em uma tributação maior. O valor que ficou recolhido deve ser abatido no cálculo do imposto a ser pago.

O que é considerado como day trade?

Para fins tributários, é considerado como day trade toda operação realizada em bolsas de valores, mercadorias e futuros, que tenha sido iniciada e encerrada no mesmo dia, em uma mesma corretora, com o mesmo ativo.

A quantidade negociada não precisa ser a mesma. Mesmo se a liquidação for apenas parcial, a operação continua sendo classificada como day trade.

E-book Comece a Investir na Bolsa

O que considerar na apuração do resultado?

O rendimento é o resultado positivo no encerramento das operações de day trade. Para apurar os resultados de um day trade, deve-se levar em conta a ordem em que as operações foram feitas.

Ou seja, para averiguar se o day trade deu lucro ou prejuízo, deve-se considerar o primeiro negócio de compra com o primeiro de venda, ou o primeiro negócio de venda com o primeiro de compra – e assim sucessivamente.

O que fazer com os prejuízos no Day Trade?

A Receita Federal permite que as perdas com operações de day trade sejam abatidas no cálculo do imposto. Porém, essa compensação só pode ser feita com outras operações de day trade realizadas no mesmo mês.

Ou seja, não é possível abater o prejuízo de um day trade com lucros obtidos em outros tipos de investimentos. Também não é possível fazer o abatimento com day trades feitos em outros meses.

O que acontece se o imposto sobre o day trade não for pago?

Se o pagamento do imposto não for feito, será cobrada uma multa com juros de 0,33% ao dia sobre o imposto devido (limitado a 20% do total). O valor também será corrigido pela taxa Selic durante o período de inadimplência.

Aprenda como analisar uma ação

É importante salientar que não existe a menor possibilidade de se “esconder” qualquer movimentação na bolsa para fugir da tributação. Como a instituição que intermediou a operação já retêm automaticamente 1% do imposto, a Receita Federal já sabe de antemão a quantia certa que deve ser declarada.

Logo, é importantíssimo sempre declarar corretamente todos os ganhos com day trade no Imposto de Renda. Isso evita futuros problemas com os fisco e garante tranquilidade ao investidor.

Se ficou alguma dúvida sobre como declarar uma operação de day trade no Imposto de Renda, deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco a sua pergunta ou opinião.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

24 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Fernando 22 de maio de 2019

    Bom dia Tiago,

    Muito bom seu artigo, apenas fiquei em duvida de como informar o saldo negativo do mês anterior no Day Trade de Mini contratos.

    Ex:
    Credito = 500,00
    Debito = – 1.500,00
    Saldo = -1.000,00

    Como e qual valor a informar, os 500,00, os 1.500,00 ou os 1.000?

    Obrigado e abraços!

    Responder
  • glender 31 de maio de 2019

    boa tarde, tive uma experiencia muito ruim com day trade só perdi dinheiro e então desisti de operar no momento; mesmo assim há a necessidade de declarar? posso ser penalizado por não ter feito?

    Responder
    • jason 8 de agosto de 2019

      Amigo, boa tarde! Só não esqueça de declarar estas perdas para a receita, caso contrário, você poderá tomar multa da receita, pois o IRRF informa movimentação dentro da corretora, mas não os valores. Tem que ser informado mesmo se sua renda for inferior ao mínimo anual para declaração. E inclusive no fim do ano deverá também fazer a declaração anual de IR. Entrou na B3, tem que declarar! Abraços!

      Responder
  • Marcos 6 de junho de 2019

    Se eu pagar a DARF precisarei pagar o IR anualmente?

    Responder
    • Suno Research 21 de agosto de 2019

      Se tudo for pago na Darf não haverá o que pagar na hora da declaração.

      Responder
  • Ricardo Dowsley 21 de agosto de 2019

    Prezado, todos os sites e especialistas comentam sobre a questão de COMPRAR e depois VENDER a ação no day-trade, auferindo lucro. Mas, se o movimento for o contrário? Exemplo: VENDI uma ação a uma boa valorização pela manhã , e dentro do mesmo dia RECOMPREI porque ela estava mais barata que o valor de venda. Essa ação é considerada day-trade do ponto de vista tributário? Pois essa nova operação (RECOMPRA) não será encerrada no mesmo dia.

    Responder
    • Suno Research 21 de agosto de 2019

      Se as duas operações forem executadas no mesmo dia, configura day-trade, se forem executadas em dias diferentes, não configura.

      Responder
  • Luciane 26 de agosto de 2019

    Bom dia.. minha duvida é qual valor da nota de corretagem que devo declarar na declaração anual, não fiz uma declaração minha e agora cai na malha fina e não sei qual valor que devo declarar. A corretora me passou um relatório auxiliar de cada mês com o valor retido é esse valor que deve declarar no mês em referência? ou tenho que utilizar a nota de corretagem , porèm a nota de corretagem é por dia e não mensal. aguardo um retorno se possível. Obrigada

    Responder
  • Osvaldo Issamu Hironaka 29 de agosto de 2019

    Digamos que em um mesmo mês eu tenha tido lucro em um determinado dia e prejuízo no dia seguinte. No fechamento desse mês eu posso fazer a diferença entre o lucro e o prejuízo? em em caso de resultado positivo pagar os vinte por cento sobre a diferença?
    Nesse caso posso subtrair dos lucros, o prejuízo e todas as taxas?
    Daria para vocês fazerem um exemplo numérico, onde em um dia se tenha lucro e no dia seguinte prejuízo, lançando todas as taxas, o IRRF, calculando no final o imposto a pagar através do DARF?
    oBRIGADO.

    Responder
  • Cezar Figueiredo 30 de agosto de 2019

    Tenho a seguinte situação: abrí posição COMPRADA de OPÇÕES na véspera. No dia seguinte iniciei vendendo (entendo que FECHEI posição do dia anterior). Depois abrí nova posição COMPRADA e vendí FECHANDO posição neste mesmo dia. A corretora diz que esta primeira venda, junto com a primeira compra é que caracterizaram o daytrade. E que a última venda do dia é que FECHOU posição com a compra do dia anterior. Acontece que o sistema da corretora só liberou a primeira venda porque eu tinha a posição comprada do dia anterior. Corretamente, não considerou como uma venda a descoberto (pois não solicitei que assim fosse). Na minha opinião a Instrução da Fazenda se refere a ‘primeira venda’ no sentido de “primeira venda abrindo posição no dia” e não simplesmente a primeira venda do dia seja ela do tipo que for. Alguém pode me dar uma explicação sobre este meu entendimento ?

    Responder
  • thaianna 4 de setembro de 2019

    tive prejuízos em julho e agosto. o que tenho de fazer? nao preciso pagar darf e nem o anual?

    Responder
  • Gustavo 13 de setembro de 2019

    Bom dia! Tenho uma dúvida sobre a declaração. Se em um determinado mês, eu tive prejuízo em day trade ou operação normal, preciso declara já no mês seguinte? Ou no caso de prejuízo eu só declaro no final do ano?

    Responder
  • Caroline 14 de setembro de 2019

    ontem eu fiz operações no day trade em mini contratos de dólar e mini contrato de índice.

    Fiz pequenas operações no índice de compra e venda e obtive um lucro de 80,00 , continuei e tive prejuízo de 50,00 e continuei e tive ganho de 170,00 e quando continuei tive prejuízo de 130

    Operei com mini dólar e tive lucro de 40,00 , aí virou prejuízo de 70,00 aí lucro de 130,00 e prejuízo de 150,00

    Ou seja eu fiz varias compras e vendas de cada mini contrato onde eu tive lucro e prejuízo mas no final do dia fechei com prejuízo nos dois.

    Como funciona o IR?

    Eu pago 20% sobre os momentos que tive lucro ou não pago nada pois fechei o dia no prejuízo? O IR é sobre cada operação de ganho ou é contabilizado no final sob o lucro do dia?

    Responder
    • Suno Research 16 de setembro de 2019

      Se na somatória deu prejuízo, você não precisa pagar nada.

      Responder
  • Renato 23 de setembro de 2019

    Boa tarde! Em fevereiro fechei o mês negativo, aí fiquei fora do mercado e em agosto operei novamente e fechei o mês no positivo. Td day trade de futuros de índice e dólar. Minha dúvida é se esse mês de fevereiro que fiquei no loss posso abater no IR o mês de agosto que fiquei no gain. Obrigado!

    Responder
    • Suno Research 4 de outubro de 2019

      Pode abater, o imposto deve ser declarado todo mês, mas fecha para o pagamento no ano, então o mês que você teve prejuizo de dá créditos de onde pode ser abatido o lucro dos meses seguintes.

      Responder
  • João Brito 27 de setembro de 2019

    O lucro referido é o líquido ou o bruto. Pois as corretoras tem as suas taxas também. Por exemplo: tive lucro bruto de mil reais no mês. Tirando as taxas da corretora, fiquei, digamos, com 800 reais de líquido. Devo pagar os 20% sobre os mil ou sobre os 800?

    Responder
    • Suno Research 4 de outubro de 2019

      Sobre os 800, afinal, você só teve renda no valor de 800, esses 200 de corretagem nunca foram seus.

      Responder
  • Débora 8 de outubro de 2019

    Boa noite!

    No mês de setembro, tive uma perda em ações no valor de 3.000,00. Não voltei a operar em ações. Depois comecei a operar mini índices (contratos futuros) e ganhei de 3963,76 (já com descontos e 1% de IR) e perdi 1672,00.

    Como devo fazer a declaração? Faço apenas de mini índice e outra apenas para as ações? Ou uma pode fazer uma única declaração e não pagar a darf, haja vista que tive uma perda maior do que os ganhos (perda total de 1330)?

    Responder
  • Juvenal 17 de outubro de 2019

    Sou pessoa Jurídica e opero com Opções Binarias. Como faço para declarar IR desses rendimentos?

    Responder
  • Rafael Magalhães 17 de outubro de 2019

    Boa noite.

    Ótimo artigo. Mas como gero a DARF? Gero com o valor que eu mesmo calculei ou insiro as operações e é gerada automaticamente?

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

203 artigos
Ações

FIIs

52 artigos
FIIs

Minicurso Gratuito

Contabilidade Para investidores

Os principais conceitos sobre contabilidade que todo investidor precisa saber!

%d blogueiros gostam disto: