Acesso Rápido

    DARF: saiba a importância desse documento para investidores de ações

    DARF: saiba a importância desse documento para investidores de ações

    Pagar impostos é uma obrigação de todo brasileiro. O DARF é um instrumento que permite que os contribuintes façam o pagamento dessas taxas para o Ministério da Fazenda e também para a Receita Federal

    Quem investe em ações, por exemplo, deve ficar atento. O pagamento de imposto relativo aos lucros é feito justamente via DARF.

    O que é a DARF?

    DARF é o Documento de Arrecadação de Receitas Federais. Como o próprio nome diz é um documento que serve para recolher taxas, impostos e contribuições referentes a operações financeiras para a Receita Federal.

    A função é possibilitar que o dinheiro chegue até os cofres públicos federais. O DARF é utilizado tanto por pessoas físicas quanto jurídicas. Com ele, podem ser pagos valores referentes ao Imposto de Renda, Imposto de Importação e PIS em cima do faturamento das empresas.

    Diferenças da DARF para pessoas físicas e jurídicas

    Para empresas, essa guia de recolhimento facilita o trabalho dos responsáveis pela área financeira e tributária. Com o DARF para pessoas jurídicas, é possível unificar o pagamento de taxas em uma único documento.

    Já o DARF para pessoas físicas é gerado após o preenchimento do Carnê- Leão para pagamento do IRPF.

    Nesse carnê, são informados os valores recebidos por outras pessoas físicas e que não tenham sido tributados na fonte. Só é obrigado a fazer esse preenchimento quem supera a faixa de isenção. Em 2018, quem tem rendimento mensal de até R$ 1998,00 está isento.

    DARF e os investimentos em ações

    Agora que você já sabe o que é DARF, deve estar se perguntando qual a relação entre esse documento e o investimento em ações.

    Sempre que você investe seu dinheiro, a expectativa é que ele renda. E em quase todos os investimentos, esse ganho é tributável, ou seja, uma parte é devida como Imposto de Renda.

    Quando estamos falando em aplicações de renda fixa e fundos de investimento, o imposto é retido na fonte. Dessa forma, o que valor que cai na sua conta já passou pelo desconto automaticamente.

    A situação é diferente quando lidamos com aplicações de renda variável, como ETF e ações. Nesses casos, o imposto não é retido na fonte. Por isso, o investidor deve fazer o cálculo para saber quanto terá que pagar de imposto sobre o lucro. Esse valor devido é pago via DARF.

    Cálculo do DARF

    Para saber como é feito o cálculo do DARF e qual o valor devido após o resgate do lucro de suas aplicações em renda variável, siga os seguintes passos:

    1. Junte as notas de corretagem: são documentos que detalham sua aplicação financeira. Podem ser obtidos no site da corretora
    2. Verifique a alíquota: caso a operação de compra e venda tenha sido feita em dias diferentes, o imposto é de 15% em cima dos ganhos. Se for feita no mesmo dia (day trade), alíquota sobe para 20%
    3. Calcule os valores e lucros: apure a diferença do valor pago na aplicação e aquele recebido na venda. Para chegar ao lucro líquido da operação, desconte os custos operacionais (taxas de corretagem e custódia, por exemplo).
    4. Emita o DARF: no site da Receita Federal é possível gerar o boleto, após preencher os dados. O procedimento também pode ser feito pro meio dos bancos.

    Algumas corretoras de valores fazem o cálculo do imposto devido e enviam o Documento de Arrecadação de Receitas Federais diretamente para o investidor.

    O DARF é, portanto, um documento importante para investidores. Ele deve ser preenchido mensalmente. Caso isso não ocorra, o contribuinte fica sujeito a multas. No nosso e-book Guia do Imposto de Renda para investidores, você tem um passo a passo para declarar as ações e lucros de maneira correta e sem surpresas.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    6 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Leon duquenne 6 de novembro de 2019

      Se o valor de venda da ação com lucro no mês for menor do que 20 mil reais precisa emitir DARF e pagar ou somente necessito declarar os valores no IRPF no ano seguinte?

      Responder
      • Suno Research 6 de novembro de 2019

        Você precisará somente declarar no IRPF do ano seguinte.

        Responder
    • Moises 28 de dezembro de 2019

      Boa tarde, sou assinante do SUNO FIIS, tenho uma duvida em relação a venda das cotas dos fundos imobiliários. 
      Suponhamos que tenho um FII que possuo 100 cotas, eu obtive uma valorizacao de 10% e quero vender 50 cotas, no caso como eu faço o calculo para a emissao da DARF? No caso eu tiraria 20% dos 10% de lucro referente as 50 cotas que eu vendi? 

      Responder
      • Suno Research 6 de janeiro de 2020

        Exatamente!

        Responder
    • Willian 25 de fevereiro de 2020

      Sou novo em ações queria saber se eu deve fazer a DARF mesmo que não tenha vendido nenhuma ação, ou a DARF e so para quem fez a venda da ação com lucro, pois minha ações e para longo prazo e eu tenho q ir fazendo DARF todos os meses se ela vem se valorizando.

      Responder
    • marcelo 29 de maio de 2020

      sou novo no daytrade , gerei uma darf por engano e agora terei que pagar.

      Responder