custos diretos

Quem trabalha com indústrias provavelmente já viu o termo “custos diretos” em algum balanço patrimonial.

No entanto, para quem está fora desta área, a distinção entre custos diretos e custos indiretos talvez não seja tão clara.

Custos diretos são todos os gastos que têm ligação com o produto ou serviço desenvolvido pela empresa. Isso inclui matéria prima, componentes e a chamada mão-de-obra direta, composta pelos salários dos funcionários da produção, são os mais recorrentes.

Outro tipo de custo direto inclui produtos que não são produzidos pela empresa, mas são comprados para tornar o que de fato é confeccionado por ela funcional.

Vamos usar o exemplo de uma montadora de automóveis. O produto ofertado por ela é o veículo em si, mas, para que o carro possa andar, é preciso que ele tenha tubos, parafusos e ainda peças menores produzidas por terceiros.

Essa necessidade acarretará a compra destes materiais que também entram nesta conta, por fazer parte do produto que será comercializado pela empresa.

Calculando os custos diretos

custosdiretos3

Os custos diretos são mais simples de calcular do que os indiretos, o que ajuda muito, uma vez que estes valores basearão o preço do produto no momento da comercialização.

Isso porque o valor da venda do produto ou serviço precisa sempre ser maior do que os custos de produção, ou o negócio não fará sentido.

Este tipo de custo sempre é incluído no cálculo dos produtos, para que o empreendedor não esteja pagando para trabalhar.

Desta forma, se a soma dos custos diretos da produção de um lote de carros for dividida pelo total de peças produzidas, você saberá o quanto custou cada um dos automóveis, obtendo um preço base que posteriormente sofrerá o acréscimo do rateio dos custos indiretos.

Vantagens de diferenciar custos diretos dos indiretos

custosdiretos2

Se os custos da empresa não forem classificados de maneira correta, o seu planejamento financeiro pode ir por água abaixo, uma vez que estes valores são a base do preço dos produtos ou serviços.

Considerando que a contabilidade da empresa é uma boa base de informações para auxiliar o gerenciamento do negócio, há muitas vantagens em fazer a correta diferenciação entre os custos diretos e indiretos, como:

• Ter maior precisão na origem dos gastos, inclusive para conseguir remanejá-los;

• Calcular adequadamente os cursos dos produtos;

• Manter um planejamento efetivo acerca dos gastos da empresa com produção.

Fazer o gerenciamento de custos da forma certa pode ajudar a empresa a evitar grandes prejuízos.

Custos diretos fixos e variáveis

Os custos diretos podem ser classificados em dois tipos: fixos e variáveis.

Os custos diretos fixos dizem respeito aos gastos que se repetem todos os meses ou com periodicidade semelhante, sem intervenção direta do número de peças produzidas.

Assim, entram nesta categoria os aluguéis de longa data de maquinários, os salários dos funcionários (sem a comissão), impostos como o IPTU e o IPVA e até o aluguel do espaço de produção, se houver.

Já os custos diretos variáveis são aqueles cujo valor sofre alterações, bem como a sua periodicidade.

Bem como a matéria prima utilizada nos produtos confeccionados, que precisará ser comprada em maior quantidade quando a produção crescer em termos de volume.

Tanto os custos diretos quanto os indiretos representam saída de dinheiro para a empresa, por isso, a má administração deste segmento pode se tornar uma fonte de prejuízo para o negócio.

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.