Acesso Rápido

    Custo-meta: entenda como funciona esse método de custeio

    Custo-meta: entenda como funciona esse método de custeio

    O sonho da maioria das empresas é aumentar sua lucratividade sem que seja necessário aumentar o preço para o consumidor final. E foi para ajudar neste processo que surgiu a figura do custo-meta.

    Muitas vezes, o custo-meta não é visto somente como um sistema de custeio, mas também como parte integrante do planejamento financeiro. Isso porque a empresa precisa acreditar nesta sistemática para que ela realmente funcione.

    O que é custo-meta?

    Custo-meta é um método de custeio. Ele tem como premissa que o preço de qualquer produto é definido pelo mercado e o quanto ele está disposto a pagar por ele. Sendo assim, a melhor forma de aumentar sua margem de lucro é diminuindo o custo da sua produção.

    Minicurso: Contabilidade para Investidores

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito e aprenda os principais conceitos de contabilidade para quem quer investir em empresas na Bolsa de Valores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    O termo teve origem no inglês “target costing” ou “target cost”, mas é aplicado em todo o mundo, com as devidas adaptações idiomáticas. No Brasil, ele também é conhecido como custeio-alvo.

    Esta metodologia é bastante utilizado por montadoras de veículos, que propõem este modelo aos seus parceiros de negócio e fornecedores.

    Como funciona o custo-meta?

    É comum que as pessoas acreditem que o custo de um produto será a base para o quanto será cobrado por ele. Essa, inclusive, é uma visão recorrente no mercado.

    Mas, para calcular o custo-meta, é preciso olhar para este cálculo de outra forma. Isso porque deverá ser compreendido que o preço de um produto é o que determinará qual pode ser o seu custo.

    Então, se a empresa deseja lucrar um valor específico com o produto, deverá reduzir os seus custos de forma proporcional. Desta forma, o custo permitido passa a ser a meta a ser alcançada pelo empreendimento.

    Assim, a fórmula do custo-meta é:

    ?=?−?

    Na qual:

    • C = Custo-meta
    • P = Preço competitivo de mercado
    • α = Margem de lucro desejada

    Então, se o mercado está disposto a pagar R$ 200 por um produto e a empresa deseja R$ 100 de margem de lucro, o seu custo-meta é R$ 100.

    Claro que nem sempre esta conta é simples. É bastante comum que o custo básico do produto seja maior do que o custeio-meta pretendido.

    Nestes casos, o gestor terá de procurar outras formas para redução de valores, como a exploração de uma nova matéria-prima.

    Diferença entre custo meta e custo padrão

    Por todas estas características, o custo-meta tem um funcionamento bem diferente do custo padrão.

    A fórmula tradicional de cálculo de custo determina que o preço de um produto será determinado pelo seu custo. Para isso, a empresa precisa estimar o seu custo de produção.

    A partir daí, será acrescentada a margem de lucro ambicionada. Só então se saberá qual o preço de venda do produto. Com isso, a empresa não considera a média de mercado no planejamento de custos. Logo, a redução de custos estará focada apenas nos prejuízos e as ineficiências do processo.

    Com isso, há pouca participação da cadeia de valor no planejamento de custos, porque o foco do lucro se concentra no preço pago pelo consumidor. Exatamente o contrário do proposto pelo custo-meta.

    Para ajudar na compreensão de um tema tão complexo, a Suno Research oferece um curso sobre Contabilidade para investidores, que aborda diversos temas do setor.

    Foi possível saber mais sobre o custo meta? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *