current yield

Na renda fixa, calcular o risco e o rendimento de um título é fundamental para realizar um bom investimento. Nessa lógica, um dos indicadores mais utilizados na analisa dos investidores é o current yield.

Existem várias fórmulas que são usadas para comparar rendimentos de títulos. Mas o current yield, como o próprio nome indica, é um indicador de curto prazo – sendo utilizado para saber se o rendimento daquele título está valendo a pena ou não naquele exato momento.

O que é current yield?

O current yield é o rendimento anual de um investimento (juros ou dividendos) dividido pelo preço atual do título. Essa medida analisa o preço atual de um título em vez de seu valor de face. Logo, o current yield representa o retorno que um investidor teria se ele comprasse o título e o mantivesse por um ano.

Esse indicador, portanto, refere-se apenas ao rendimento do título no momento atual – e não sobre o retorno total que o título terá até o seu vencimento. Além disso, o current yield também apresenta as seguintes premissas:

  • É calculado em uma data específica e pode mudar com o tempo;
  • Considera apenas o fluxo de caixa a ser recebido no próximo ano – desconsiderando assim os fluxos de caixa que devem ser recebidos no futuro, como os demais pagamentos de cupom e o valor nominal pago no vencimento do título;
  • Não considera que os pagamentos de cupons semestrais possam ser reinvestidos.

Para que o current yield é utilizado?

O current yield é usado para avaliar o rendimento de um título com base em seu preço atual, de forma que:

  • Se um título for negociado com desconto em relação ao seu valor nominal, seu current yield estará acima da taxa do cupom. Dessa forma, possuir o título passa a ser vantajoso para o investidor.
  • Se o preço atual de mercado for igual ao seu valor nominal, o current yield é igual à taxa do cupom. A decisão de possuir ou não o título é indiferente.
  • Se um título for negociado com um prêmio em relação ao seu valor nominal, seu current yield estará abaixo da taxa do cupom. Dessa forma, possuir o título passa a ser desvantajoso para o investidor.

A análise de current yield também pode ser usada em classificações de risco e cálculos para comparar vários títulos. Como regra geral, na teoria financeira, quanto maior o risco, maior o retorno que o investimento deve apresentar. Logo, se dois títulos possuem riscos iguais, será melhor aquele que apresentar maior current yield.

Como calcular o current yield?

A fórmula para calcular o current yield é definida da seguinte forma:

CY = Pagamento anual de juros / Preço atual do títulos

Por exemplo: suponha que um determinado título está sendo negociado a R$ 1000,00, e que pague uma taxa de cupom de 3%. Nesse caso, o rendimento atual do título também será de:

CY = 3/100 = 3,00%

No entanto, suponha agora que o mesmo título está sendo negociado com um desconto, e agora os investidores podem compra-lo por R$ 950,00. Neste caso, mesmo que o título ainda esteja pagando um cupom de 3%, seu rendimento atual será um pouco maior:

CY = 3/95 = 3,16%

Como outro exemplo, digamos que o título esteja sendo negociado a um preço premium de R$ 1100,00. Neste caso, mesmo que o título ainda esteja pagando um cupom de 3%, seu rendimento atual será realmente um pouco menor:

CY = 3/110 = 2,73%

Ou seja, nos três casos, a taxa de cupom declarada permanecerá a mesma (neste caso, 3%). No entanto, como o nível das taxas de juros no mercado mudam ao longo do tempo, o retorno que os investidores exigem de um investimento também mudam. Como resultado, a demanda dos investidores por esses títulos irá se ajustar, até que o current yield dos mesmos sejam equivalente a outros papéis com perfis de risco similares.

O current yield também pode ser utilizado para analisar o rendimento de uma ação. Nesse caso, o cálculo deve ser feito dividindo os dividendos recebidos por uma ação pelo preço de mercado atual da mesma.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.