Acesso Rápido

    Cross default: conheça o vencimento antecipado de débitos

    Cross default: conheça o vencimento antecipado de débitos

    Um bom planejamento financeiro precisa prever uma série de possibilidades. Uma delas é o uso do cross default em aplicações financeiras e empréstimos no mercado financeiro.

    Isso porque, sem esta previsão e organização, o cross default pode afetar as finanças de um investidor. Tanto de uma forma positiva, caso ele seja o credor, quanto negativa, caso seja o devedor.

    O que é cross default?

    Cross default é um termo em inglês que significa ao pé da letra “padrão cruzado”. Entretanto, seu uso no dia a dia está mais ligado a uma inadimplência ou calote cruzado. Trata-se de uma antecipação do prazo de vencimento de um débito em decorrência de outra inadimplência.

    Este vencimento antecipado da dívida tem por objetivo proteger o credor de um eventual calote.

    Guia de Investimento em Renda Fixa

    Invista com segurança e rentabilidade: baixe gratuitamente o nosso ebook e conheça as principais opções de investimento em Renda Fixa!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Como funciona o cross default?

    Para ser utilizado, o cross default precisa estar previsto em contrato antes do momento da sua assinatura. Assim, o cliente saberá desta possibilidade.

    Para facilitar o entendimento é possível exemplificar a situação. Digamos que um indivíduo tomou um empréstimo com um banco em 2019, com pagamento previsto para 2022. Nele, havia uma cláusula de cross default.

    No ano de 2020, este indivíduo deixou de pagar o aluguel do imóvel onde residia, tornando-se assim alguém inadimplente.

    Como o seu contrato de empréstimo bancário continha a cláusula de cross default, o banco que concedeu o empréstimo pode antecipar o vencimento da dívida para 2020.

    Sem que haja nenhuma penalidade para o credor, uma vez que esta possibilidade foi acordada com o indivíduo que obteve o empréstimo ou financiamento.

    Essa cobrança pode ser feita, inclusive, na Justiça. O que agrava a situação para o devedor.

    É comum que o BNDES inclua em seus contratos de financiamento bancário esta cláusula. Lembrando que o principal público desse banco são os pequenos e médios negócios.

    Por isso é importante manter as finanças em dia e de forma organizada, para não cair em um cross default por esquecer de pagar uma dívida por descuido.

    Investimentos e o cross default

    Levando esta realidade para o mercado de investimentos, o cross default pode ser uma garantia interessante para um investidor.

    É possível se deparar com casos de cross default em alguns investimentos em renda fixa e contratos financeiros. Porém, esta prática é mais recorrente em debêntures.

    Neste caso, se a empresa na qual os recursos forem aplicados se tornar inadimplente, ele pode receber a contrapartida do investimento antes do prazo previsto. A ideia é garantir o recebimento dos valores, quando há suspeita de perdas financeiras.

    Este é o intuito do vencimento antecipado. Mas é preciso considerar os impactos disso na empresa em questão.

    Ao optar por resgatar o valor devido antes do prazo, o investidor torna a situação da empresa ainda mais complicada.

    Por isso, se o intuito é ver o negócio crescer para dar lucros, o ideal é analisar a inadimplência em questão, a sua causa e se ela realmente representa um risco para o capital aplicado.

    Para entender melhor sobre o tema, conheça o e-book gratuito da Suno Research sobre Economia para Investidores.

    Foi possível saber mais sobre cross default? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *