corretagem

O principal custo para o investidor em ações ou fundos imobiliários é chamado de corretagem. Você sabia?

A corretagem é o custo que você paga para a sua corretora de valores intermediar as suas operações de compra e venda de ações e fundos imobiliários na bolsa de valores.

Existem três tipos:

  • Fixa
  • Variável
  • Mista

Embora este seja um custo real para investir, existe muita preocupação, sobretudo dos investidores iniciantes, no impacto que essa despesa periódica terá na rentabilidade dos seus investimentos. Entretanto, como veremos adiante, o investidor deve ficar tranquilo quanto a isso. Não há motivos para se preocupar.

Mas por agora gostaria de apresentar as duas maneiras diferentes que as corretoras utilizam para cobrar essa taxa do investidor.

Então vamos em frente.

Corretagem fixa

corretagem

corretagem fixa de R$ 18,90

 

A forma mais comum da corretora de valores receber sua remuneração é através da cobrança de um valor fixo por ordem. Funciona assim: sempre que você preencher uma ordem de compra ou venda através do seu Home Broker (internet) e essa ordem for executada, mesmo que parcialmente, você será cobrado um valor fixo. Por exemplo, de R$ 5, R$ 10 ou R$ 15 .

Ou seja, não importa o valor da sua ordem. Pode ser de R$ 100, R$ 10.000 ou R$ 100.000. O custo é idêntico.

Esse valor irá depender da corretora que escolher e ainda costuma variar se a negociação for de ações ou fundos imobiliários. Qual a média de mercado?

Encontramos uma faixa muito ampla. Para ações, por exemplo, podemos encontrar valores desde R$0,80 até mais de R$ 25 por ordem.

Além disso, para fundos imobiliários existem corretoras que isentam o investidor dessa taxa. Outras, praticam o mesmo preço para o mercado de ações.

Por fim, é importante lembrar que a corretagem vem caindo significativamente no Brasil, devido ao surgimento de diversas corretoras. Em um futuro próximo, talvez esse artigo nem faça mais sentido.

Na imagem acima, mostramos um exemplo real de uma transação realizada pelo Home Broker.

Corretagem variável e mista

tabela bovespa de corretagem

tabela bovespa de corretagem

Se você não quiser utilizar o Home Broker, mas sim, pedir para o seu corretor executar a sua ordem, então provavelmente o custo da operação seguirá a tabela Bovespa acima.

Ou seja, a cobrança dependerá do volume negociado no dia e não do número de ordens. Na 1ª faixa, a cobrança é totalmente fixa, de R$ 2,70. A partir de R$ 135,08 existem o componente fixo e variável. Vale ainda mencionar que existe o valor mínimo de negociação de R$ 100.

Por exemplo, se eu fizer em um mesmo dia uma ordem de R$ 150, ou 6 ordens de R$ 25, pagarei em ambos os casos 2% X R$ 150 = R$ 3,00.

Na prática, é preciso fazer a conta se irá valer mais a pena realizar a ordem via Home Broker ou via o seu assessor. Mas como disse anteriormente, a tendência é de que essa tabela caia cada vez mais em desuso devido a redução nos valores fixos.

Por fim, vale mencionar que algumas corretoras, especialmente aquelas vinculadas aos grandes bancos, costumam cobrar uma parcela variável mesmo em operações realizadas via Home Broker.

 

Corretagem não é relevante no longo prazo

Para o investidor que investe a longo prazo e não fica negociando muito, não há porque se preocupar com esse custo.

Quem investe apenas R$ 50, por exemplo, pode pagar no máximo R$ 0,80 de corretagem para ações, ou seja, 1,6%. E com o tempo, a medida que o investidor reinvista os dividendos seus aportes aumentarão e essa despesa será diluída. Além disso, a medida que o próprio patrimônio valoriza, o efeito desse pedágio de entrada também será irrelevante.

Óbvio que com R$ 50 você não iria escolher uma corretora que cobrasse R$ 25 por ordem, mordendo metade do seu investimento logo de cara. É preciso um pouco de bom senso. Como referência, tome como limite algo em torno de 2% do seu investimento.

Mas se você for muito “pão-duro”, pode inclusive manter conta em mais de uma corretora para aproveitar os custos mais baixos possíveis para ações e fundos imobiliários.

Conclusão sobre corretagem

conclusao corretagemCorretagem não é algo que deva tirar o seu sono como investidor. Mas para quem está pretendendo investir valores muito pequenos, digamos abaixo de R$ 100, é interessante escolher corretoras de baixo custo. No longo prazo, contudo, nem essa economia fará tanta diferença assim.

Compartilhe a sua opinião
Rodrigo Wainberg

Rodrigo Wainberg

Profissional aprovado no Level III da certificação CFA, investidor em ações há 6 anos, possui registro de Analista e Consultor de Valores Mobiliários, e é Bacharel em Física pela UFRGS.