consorciado

Os consórcios são uma das modalidades de financiamento mais populares no Brasil. Com isso, cada vez mais pessoas tem se tornado um consorciado no país.

Com isso, é importante sempre lembrar os direitos e deveres que um consorciado tem em relação ao seu consórcio.

O que é um consorciado?

Consorciado nada mais é do que alguém que participa de um consórcio. Um consórcio é uma comunhão de pessoas físicas ou jurídicas com o objetivo de adquirir um bem comum. Os consórcios no Brasil são regulados pelo Banco Central e são geridos por instituições financeiras públicas e privadas.

Como funciona um consórcio?

consorciado significado

Para entender o conceito por trás deste mecanismo. convém apresentar um exemplo simplificado de como ele funciona.

Imagine que você e outros 9 colegas desejam adquirir um mesmo carro. Este carro custa R$ 100 mil. Porém, vocês não possuem o total de R$ 100 mil para comprar o veículo à vista. Porém, cada um consegue economizar o valor de R$ 10 mil por mês.

Portanto, é apresentada a ideia de se realizar um consórcio. Cada um dos 10 amigos irá depositar R$ 10 mil em uma conta, totalizando assim R$ 100 mil mensais. Existe uma instituição financeira responsável por gerir o consócio, que também está interessada em obter lucro, a consorciadora.

Então, a cada mês, a consorciadora sorteará uma das 10 pessoas para ganhar o veículo naquela ocasião.

Assim, esta é uma situação em que todos saem ganhando. Afinal, todos terão a chance de obter o bem que desejam em um período muito mais curto.

Lembre-se que, como o carro custa R$ 100 mil, e cada um só consegue economizar R$ 10 mil por mês, levaria 10 meses para cada um obter o carro sozinho.

Com esta espécie de consórcio os colegas podem conseguir obter o carro muito antes. O último a ser sorteado levará os mesmos 10 meses que levaria se comprasse sozinho. Portanto, ninguém estará em uma situação pior.

Obviamente que este é um exemplo muito simplificado. Na prática os consórcios ocorrem em uma escala muito maior.

Deveres e obrigações do consorciado

Existem inúmeras taxas a serem pagas pelo consorciado para a instituição financeira. As principais são:

  • Taxa de administração do consórcio;
  • Fundo comum;
  • Fundo reserva.

Taxa de administração

A taxa de administração é a taxa cobrada pela instituição financeira para gerir aquele consórcio.

É importante que o consorciado avalie com precaução o valor desta taxa. Algumas empresas podem cobrar taxas demasiadamente elevadas — logo, se ela for muito alta isto pode reduzir a atratividade da sua participação.

Fundo comum

O fundo comum é para onde a maior parte das parcelas mensais pagas pelos participante são direcionadas. É com os recursos do fundo comum que será concedido o crédito para o sorteado adquirir o seu bem.

Quanto maior o percentual da parcela paga destinado ao fundo comum, melhor tende a ser a operação.

Fundo reserva

O fundo reserva é constituído para conter possíveis emergências ou erros que possam decorrer ao longo da operação.

Em operações de larga escala, por exemplo, é comum que alguns dos consorciados se tornem inadimplentes.

Por isso, é paga a uma taxa extra para constituir um fundo reserva.

Vale a pena se tornar um consorciado?

Esta é uma pergunta que irá variar de acordo com cada caso. A depender de questões pessoais, como a necessidade de adquirir o o produto em um curto espaço de tempo, bem como da questão do consórcio específico, como a sua taxa de administração.

Por isso, antes de se tronar um consorciado, porém, é importante você avaliar todas as taxas e condições envolvidas, bem como considerar a possibilidade de você sozinho investir o dinheiro para adquirir o bem. Para saber mais sobre essa possibilidade, confira o nosso Manual do Novo Investidor e aprenda como começar a investir da melhor forma.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.