AnalisesBolsaConhecimento

Como grandes investidores se comportam nas crises?

By 18 de maio de 2017 No Comments

O mercado financeiro é cíclico.

Assim como existem os momentos de euforia, existem as épocas de crises e desespero generalizado no mercado.

No momento de baixas, a maioria dos investidores sai de sua posição o quanto antes, a fim de diminuir as perdas o tanto quanto seja possível.

É aí que ocorre a concentração de riqueza. Alguns poucos investidores compram da massa desesperada, que dias depois irá acusar o mercado de ser manipulado pelos “tubarões”.

Não existem “tubarões” manipuladores. Existem investidores despreparados que vendem durante o pânico, quando deveriam estar comprando.

Agora, o que fazem os grandes investidores neste cenário?

Diferentemente da manada, os investidores mais experientes agem no sentido contrário desses movimentos, e enxergam a queda dos preços dos ativos nas épocas de crises como verdadeiras promoções.

Esses investidores focam na associação com bons empreendimentos, baseados no valor que essas empresas apresentam e que poderão gerar no futuro, e não no preço de mercado que se encontram naquele momento.

Esta é verdadeiramente uma visão racional e de longo prazo que, a julgar pelos resultados dos que a utilizam, apresenta resultados positivos.

O senhor Luiz Barsi, nosso mentor nos investimentos, utiliza e recomenda assumidamente essa técnica, conforme revelado por diversas vezes através de suas entrevistas para a Suno Research, sejam elas nas cartas, nos vídeos ou nas postagens que fazemos.

No vídeo abaixo, por exemplo, ele explica com suas próprias palavras como enxerga as crises:

É óbvio que sabemos que não passa de uma brincadeira a questão do beijo na ex-presidente Dilma, mas a mensagem que fica é o sentimento de “gratidão” que o senhor Barsi demonstra pelo fator que gerou a crise, não pelo desemprego e demais transtornos oriundos daquela situação, mas sim pelo motivo que ocasionou uma promoção no mercado onde ele pôde comprar papéis que a muito já tinha interesse, porém, os preços estavam altos.

Outro momento em que o senhor Barsi deixou claro seu posicionamento no assunto foi na ligação feita para ele pelo nosso sócio fundador Tiago Reis durante a Live em nossa página do Facebook feita no dia de hoje (18/05/2017), em que o assunto abordado foi justamente o momento político e econômico atual do Brasil e como eles podem desencadear uma nova janela de oportunidades no mercado de ações.

Abaixo você pode conferir o conteúdo da conversa na íntegra, perceba como o Barsi retoma de maneira categórica à sua usual metáfora sobre o jacaré que espera pacientemente com a boca aberta pela presa para dar o bote:

Ainda sobre o assunto “promoções no mercado em épocas de crises”, outro usuário assumido dessa estratégia é ninguém menos que Warren Buffett, o maior investidor de os tempos.

Em uma carta escrita para o jornal The New York Times em 16 de outubro de 2008, época em que se desencadeava uma das maiores crises financeiras já vistas em nosso tempo, e intitulada como “Buy American. I am.”, Buffett explicitou seu posicionamento diante do que estava acontecendo na economia mundial, chegando a certo momento a escrever “Tenha medo quando os outros são gananciosos e seja ganancioso quando os outros estão com medo”.

Outro exemplo do comportamento do oráculo de Omaha em épocas de crises aconteceu em outubro de 1987, mais especificamente no dia 19 daquele mês, quando o índice Dow Jones caiu mais de 22%, maior queda em um único dia já registrada na história do índice.

Buffett, ao contrário do mercado que estava extremamente desesperado e sem saber o que fazer, manteve a calma e fez uma de suas maiores aquisições de ações da Coca-Cola, aproveitando do momento no qual ele enxergou uma oportunidade onde todos só visualizavam o caos completo.

Como o próprio Buffett costuma dizer, “O mercado foi feito para transferir dinheiro dos impacientes para os pacientes”.

Parece que o oráculo teve razão em mais uma de suas colocações.

Esse é o comportamento que os grandes investidores adotam e que os diferenciam da maioria.

Eles enxergam oportunidades no longo prazo quando todos só veem a derrota no curto.

Outro exemplo dessa situação, agora de um investidor não tão atuante no mercado como os dois citados anteriormente, porém inegavelmente muito bem sucedido em sua jornada, foi quando o atual presidente americano Donald Trump, em 2011, diante das quedas no mercado naquele ano, entrou comprando papéis de grandes empresas como Citigroup, Caterpillar,  Johnson & Johnson e Intel que se encontravam muito baratos naquele momento.

Nas palavras do próprio Trump na época: “Este é um momento inacreditável para se afastar de todo mundo e fazer bons negócios.

Será que esses três investidores estavam enganados e o que fizeram foi resultado de sorte, ou será que se aproveitaram do momento e utilizaram uma estratégia de visão de longo prazo e associação com bons empreendimentos no momento em que se encontravam a um preço abaixo do que realmente valiam?

Essa pergunta vale a reflexão e a resposta é individual de cada investidor, porém os resultados destes investidores falam do si mesmo.

Luiz Barsi, Warren Buffett e Donald Trump tiveram resultados positivos em seus investimentos realizados no auge do pânico.

O que vale ressaltar nesse momento é que, mesmo diante do cenário em que se encontra nosso país e nossa economia, que todos sabemos e concordamos que não está fácil, o que importa é o comportamento do investidor neste cenário de dificuldades.

Enquanto a maioria se encontra no desespero e no verdadeiro caos, vendendo suas posições a preços abaixo do que realmente valem, investidores de sucesso fazem o movimento oposto, mantendo a racionalidade e a serenidade para observar e avaliar quais as melhores oportunidades que estão postas à mesa naquele momento, agindo com frieza e movimentos calculados, exatamente como o jacaré que se posta aquele tempo todo com a boca aberta esperando pacientemente pela sua presa para se alimentar.

Para o investidor consciente, é importante perceber que, em momentos de crise, o dinheiro troca de mãos, e aqueles que estão mais atentos às movimentações do mercado acabam se beneficiando das oportunidades geradas por movimentações dos especuladores desesperados.

É isso que praticamos e é isso que recomendamos a quem nos segue e nos acompanha.


Receba nossas recomendações e relatórios exclusivos com nossa Assinatura Premium

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.