Como fazer valuation de empresas é uma pergunta muito comum para investidores
Por: Tiago Reis

Como fazer valuation de empresas? Veja 3 relevantes exemplos práticos

Um ponto muito importante que deve sempre ser avaliado no momento de comprar uma ação, mas que muitas vezes é deixado de lado ou simplesmente desconhecido pelos investidores, é o processo de como fazer valuation de empresas, afinal de contas, pode não ser muito vantajoso comprar uma boa companhia, mas que esteja sendo negociada por um preço muito elevado.

Sendo assim, um dos focos principais dos investidores deve ser procurar ótimos empreendimentos e que estejam sendo negociadas em bons preços, e para auxiliar o investidor nessa busca existe um processo bastante valioso a respeito de como fazer valuation de empresas.

Isso é relevante pois aplicar em ações costuma ser um investimento bastante rentável no longo prazo, desde que o investidor escolha boas empresas, que possuam vantagens competitivas, uma boa gestão, um balanço sólido, boas margens, e que operem de forma rentável e eficiente.

O que é Valuation?

O valuation é o processo de estimar o valor real de um negócio – ou seu valor intrínseco – projetando e estimando, dessa forma, o valor de suas ações para o futuro, e este termo pode ser interpretado como uma abreviação para “avaliação de empresas”.

Dentro da metodologia do valuation, existem diversas técnicas de avaliações que podem ser utilizadas para estimar o valor de uma companhia, e a mais conhecida entre elas é o Fluxo de Caixa Descontado, mas existem outras que também são bastante utilizadas e eficazes, como a análise comparativa de múltiplos e a avaliação do histórico de múltiplos.

É muito importante ressaltar, entretanto, que essa metodologia de se atribuir um valor a uma companhia diz respeito a estimativas futuras, que podem ser trazer consigo acontecimentos totalmente fora do esperado pelos cálculos previamente feitos para definir o valor justo de uma empresa.

Ademais, a depender das premissas utilizadas e os números utilizados no Fluxo de Caixa Descontado, por exemplo, o valor “justo” de uma ação encontrado por um investidor pode ser totalmente diferente do encontrado por outro.

Sendo assim, podemos dizer que o valuation não é apenas uma fórmula matemática, mas sim uma arte.

Ainda, o valuation é uma ferramenta valiosa para estimar ou ter uma ideia do valor justo de uma ação, mas devido a sua subjetividade, e diferenças de resultados que podem ser obtidos a depender das premissas e métodos utilizados, deve ser visto com cautela e, apesar de muito importante, geralmente não deve ser o único critério utilizado pelo investidor para decidir investir ou não em uma ação.

Por que o valuation é importante na hora de investir?

Utilizar técnicas de valuation é imprescindível para todo investidor que deseja ter sucesso no mercado no longo prazo e é fundamental ao investidor que quer saber reconhecer as oportunidades que o mercado de capitais oferece e também saber evitar empresas que estejam muito caras e que representam um risco mais elevado.

Podemos dizer que o valuation é uma ferramenta que serve para o investidor ter uma noção do verdadeiro valor de uma empresa, ou de um ativo, o seu valor intrínseco, e o auxilia impedindo-o de pagar um preço extremamente caro por algo que não mereça tal valoração.

Você, como consumidor, aceitaria pagar R$ 50,00 em um cacho de bananas? Ou R$ 10,00 em uma bala?

Provavelmente não.

E como um consumidor, conseguiria identificar e reconhecer que esses preços estão extremamente elevados?

Basicamente o consumidor deveria procurar o preço desses produtos em outros comércios ou também pesquisar por produtos similares e comparar seus preços.

Se a média de preços das balas, das mais variadas marcas, está em torno de R$ 0,15, então pode-se concluir que R$ 10,00 é extremamente caro.

Ele também poderia levar em conta o custo de produção desses produtos.

Sabe-se que para produzir uma bala não vão mais do que alguns poucos centavos, e mesmo que se assuma que a fabricante de balas trabalhe com margens mais elevadas, e o comerciante também, ainda assim o preço da bala não ficaria em muito mais que R$ 0,20 ou R$ 0,30.

Portanto, R$ 10,00 em uma única bala é um absurdo, é algo fora da realidade.

O consumidor, ao comparar preços, e identificar os custos envolvidos neste produto, estimando uma margem de lucro, poderá reconhecer facilmente e identificar se um produto está sendo vendido por um preço justo, ou muito caro.

Esse consumidor, ao comparar preços e tentar identificar o valor justo de um produto, está fazendo uma espécie de valuation também, e comprar um produto por um preço justo, ou barato, garante a ele uma economia de capital, e uma margem de segurança na compra.

No mercado de ações ocorre algo bastante similar.

Por exemplo, se temos duas empresas que operam num mesmo setor, e a primeira negocia por 10 vezes o lucro, e a segunda negocia por 15 vezes, e ambas possuem fatias importante do mercado, boas vantagens competitivas, métricas de rentabilidade similares, além de terem apresentado um crescimento histórico similar, fica nítido que a primeira empresa, a que negocia com um P/L de 10, é a mais barata.

Comprando essa empresa por um P/L menor, deverá também, geralmente, garantir dividendos maiores para o investidor, e obviamente, um maior potencial de valorização no longo prazo.

Além disso, comprar ativos que estejam com valuation atrativos gera também uma maior margem de segurança ao investidor, o que é uma das principais vantagens de se comprar ativos descontados.

A margem de segurança, gerada pela compra de um ativo com um bom valuation, é extremamente importante, visto que, caso algo de errado ocorra com aquela empresa, ou seus lucros e resultados cresçam menos que o esperado, o investidor estará naturalmente mais protegido do que aqueles que compraram ativos em preços caros.

Comprar uma ação por um valuation caro, estimando um crescimento muito elevado para o futuro, pode ser muito perigoso, e coloca o investidor em uma situação de grande risco de perdas, já que ele pode estar assumindo premissas que nunca irão se concretizar.

Para exemplificar

Um exemplo interessante que demonstra o evidente perigo de se comprar ativos com baixa margem de segurança e com um valuation caro, é o da empresa Hering, alguns anos atrás.

A Hering, durante muitos anos na última década, após seu processo de turnaround, passou a apresentar resultados operacionais extremamente fortes, com crescimento considerável dos lucros.

Ano a ano a Hering via seus lucros crescerem de forma expressiva, tendo seus lucros se multiplicado por várias vezes e, para termos uma ideia, de 2006 a 2012 os lucros da Hering sairam de menos de R$ 20 milhões para mais de R$ 300 milhões.

Muito animados e eufóricos com todo esse crescimento, vários investidores aceitavam pagar preços cada vez maiores, comprando as ações por preços próximos que superavam os R$ 45,00, com uma relação P/L em alguns momentos bem próxima de 30 vezes, estimando que o grande crescimento de lucros permaneceria por ainda muito tempo.

No entanto, a partir de 2012 a empresa viu seus resultados ficarem praticamente estagnados, visto que a companhia já havia capturado todos ganhos de eficiência e de margens possíveis após todo o processo de turnaround, e também já havia multiplicado sua base de lojas próprias e franqueadas de forma expressiva, apontando claramente que o crescimento apresentado no passado dificilmente se repetiria no futuro.

Além disso, com a grave crise econômica pela qual o país passou, a empresa se viu bastante pressionada, com elevação de custos, queda nas vendas e no faturamento, e também queda nas margens, e desde 2015 os resultados da empresa vêm caindo.

Como resultado, a cotação da empresa também sofreu quedas expressivas nos últimos anos, e o investidor que comprou esperando crescimentos expressivos nos lucros, e decepcionou bastante.

Repare no gráfico abaixo, que quem seguiu a euforia de forma imprudente, e comprou as ações da Hering em 2012 (nos patamares marcados pelo círculo vermelho), quando os preços na época chegaram a patamares superiores a R$ 45,00 e a relação P/L estava em um dos maiores níveis históricos, acabou se colocando numa situação bastante adversa, e podemos dizer que desde 2012 acumula um grande prejuízo.

Hoje as ações da Hering, mesmo após grandes valorizações em 2017, negociam em torno de R$ 24,00. Sendo assim, quem comprou na faixa dos R$ 40,00 ou R$ 45,00, enfrenta mais de 5 anos de perdas, tudo isso ocasionado pela falta de margem de segurança.

 

Exemplo de como fazer valuation de empresas P/L Hering

Fonte: Economatica / Suno Research

Por outro lado, quem não se levou por essa euforia e teve paciência de aguardar um valuation atrativo para a Hering, comprando suas ações em meados de 2015 e 2016, onde as cotações estavam baixas e os múltiplos não precificavam mais um cenário muito otimista, vem conseguindo uma rentabilidade bastante elevada, além de receber dividendos bem maiores.

O investidor paciente, que utiliza técnicas de valuation na hora de investir, pôde esperar e comprar Hering em 2015, pagando um P/L de cerca de 8 vezes, e adquiriu uma companhia que mesmo que passasse a apresentar um crescimento bastante reduzido nos lucros e resultados dali para frente, apenas com os dividendos recebidos já garantiria um retorno interessante.

A situação do investidor que adquire ativos abaixo de seus valores intrínsecos, com valuation descontados é simplesmente muito mais confortável e segura que a dos que não utilizam o valuation como ferramenta antes de investir.

Afinal, como fazer valuation de empresas? Três ações atrativas

Conforme tudo o que foi exposto acima, conseguimos entender claramente como é importante o investidor adquirir ativos que estejam sendo negociados com um valuation barato, porém, entendemos que, principalmente para aqueles que estão iniciando no mercado, fazer um valuation ou reconhecer as grandes oportunidades pode não ser tão simples.

Deste modo, de forma a auxiliar os investidores que desejam investir em ativos baratos, resolvemos trazer três ações que hoje negociam com um bom valuation, e que oferecem boa margem de segurança aos investidores.

Multiplus S.A – MPLU3

A Multiplus, companhia do segmento de programas de fidelidade, é um exemplo de empresa que hoje entrega uma ótima margem de segurança e está sendo negociada num valuation atrativo.

A empresa que é uma forte geradora de caixa, não possui dívidas e possui um elevadíssimo ROE (Retorno Sobre Patrimônio Líquido) é uma companhia de excelência operacional, e além disso, está barata.

Com uma relação P/L de pouco mais de 10 vezes, e um dividend yield projetado de próximo de 9%, a companhia representa uma grande oportunidade de investimento.

Se avaliarmos o histórico do múltiplo P/L da Multiplus, vemos como o atual patamar é um dos menores dos últimos anos, como podemos evidenciar abaixo.

Relação P/L da Multiplus a respeito de como fazer valuation de empresas

Fonte: Economatica / Suno Research

Enel Distribuição Ceará – COCE5

A Enel Distribuição Ceará, conhecida anteriormente como Companhia Energética do Ceará é uma empresa de distribuição de energia elétrica que distribui energia para mais de 3,9 milhões de clientes em 184 municípios do Ceará.

A companhia é a terceira maior do Nordeste em volume distribuído e uma das empresas mais reconhecidas pela qualidade de gestão e serviço prestado.

Mesmo sendo uma empresa de excelência operacional, com um dos maiores ROE do segmento de distribuição, e boas margens, a empresa negocia com um valuation bastante atrativo.

Hoje as ações da Enel Distribuição Ceará negociam com um P/L de cerca de 9,29 vezes e um EV/Ebitda de apenas 6,3 vezes, ambos múltiplos bem inferiores à média do segmento energético, demonstrando que a empresa se encontra claramente num valuation muito atrativo.

Banco ABC Brasil – ABCB4

O Banco ABC Brasil é um banco múltiplo, de porte médio,  controlado pelo Arab Banking Corporation (ABC), focado em concessão de crédito e serviços para empresas de médio a grande porte.

A principal linha de negócios do ABC Brasil é a intermediação financeira voltada para operações que envolvam análise e assunção de riscos de crédito.

Apesar de ser um banco de porte menor, o Banco ABC historicamente sempre operou com um ROE elevado e se mostrou bastante eficiente ao longo do tempo, tendo entregue bom crescimento de resultados e de proventos aos seus acionistas.

O Banco ABC Brasil atualmente é negociado com um P/L de pouco mais de 8 vezes e com uma relação P/VPA de apenas 1,07, o que na prática significa que o banco está sendo negociado apenas 7% acima do valor de seus ativos.

Abaixo podemos evidenciar como o banco atualmente negocia com a menor relação P/L dentre os principais bancos:

Relação P/L de bancos sobre como fazer valuation de empresas

Fonte: Economatica / Suno Research

Além de estar com um preço atrativo, avaliamos que o banco possui um grande potencial de crescimento, em especial por conta de seu bom nível de capitalização, que permitirá que o banco se beneficie do crescimento da demanda por crédito nos próximos anos.

Projetamos um dividend yield próximo de 6% para o ABC em 2018 e vemos um bom potencial de valorização de suas ações.

Quer aprender tudo sobre valuation?

Fica claro perceber, diante do que foi exposto, que um processo de valuation é extremamente importante no que diz respeito a análise conjuntural de um ativo financeiro.

Por conta disso, nós da Suno Research desenvolvemos o nosso Curso online de Valuation e Precificação de Ativos, através do qual os participantes poderão aprender – seja por meio da comparação de múltiplos, fluxo de caixa descontado, ou Modelo de Gordon para dividendos – como avaliar o valor intrínseco de uma ação e estipular uma margem de segurança satisfatória para a sua efetiva compra, tudo isso ao longo de mais de 12 horas de conteúdo.

Ao adquirir o curso você tem acesso imediato a todo o conteúdo com 30 dias de garantia de satisfação total! Clique aqui agora mesmo para saber mais detalhes.

Conte conosco para desenvolver um eficiente processo sobre como fazer valuation de empresas e, assim uma carteira previdência de sucesso, escolhendo sempre bons ativos e a preços descontados.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

2 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Vitor Somberg 6 de julho de 2019

    Excelente

    Responder
  • rudney rodrigues magano 12 de julho de 2019

    Preciso de uma planilha excel onde possa colocar numeros de nossas projeções e obter o valor da empresa.

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

194 artigos
Ações

FIIs

49 artigos
FIIs

Minicurso Gratuito

Aprenda
Valuation

Aprenda as principais técnicas de Valuation e Precificação de ativos para investidores

Suno Black

Dias
Horas
Minutos
Segundos

Aproveite os últimos dias para se tornar Suno Black e ter acesso a todas as nossas assinaturas em 1 único plano!

Suno Black

tudo.

Dias
Horas
Minutos
Segundos

Aproveite os últimos dias para garantir a sua assinatura Suno Black e ter acesso a todo o conteúdo exclusivo Suno, com somente 1 assinatura!

%d blogueiros gostam disto: