CasesConhecimentoInvestimentosResenhas

Charlie Munger: aprenda mais sobre o sócio de Warren Buffett

By 3 de julho de 2017 No Comments

Credenciais dizem muito a respeito das pessoas.

O que imaginar de um senhor de mais de 90 anos de idade e que é sócio de ninguém menos que Warren Buffett?

Essa é apenas uma das atribuições que Charlie Munger pode incluir em seu retrospecto.

Certamente o fato de alguém ser sócio do Oráculo de Omaha acrescenta bastante prestígio e reconhecimento em sua apresentação, mas a posição de Munger ao lado do maior investidor de todos os tempos não é mera obra do acaso.

Suas qualidades enquanto investidor o fizeram ocupar a honrosa posição de sócio na Berkshire Hathaway por total mérito e reconhecimento.

Quem é Charlie Munger?

Conterrâneo de Buffett, Charles Thomas Munger nasceu no dia 1º de janeiro de 1924, na mesma cidade de seu sócio, em Omaha, estado de Nebraska, nos Estados Unidos.

Charlie Munger

Pode até parecer uma brincadeira orquestrada pelo destino, mas por incrível que pareça, em sua adolescência, mesmo sem ainda conhecer Buffett, Munger trabalhou numa mercearia chamada Buffett & Son, que era pertencente ao avô de Warren Buffett, em sua cidade natal.

Em 1941, Charlie deixou Omaha para ingressar na Universidade de Michigan com o objetivo de estudar matemática, porém deixou a graduação em 1943 para alistar-se no  U.S. Army Air Corps – organização similar à força aérea – onde galgou até chegar à função de Segundo Tenente.

Depois desse período ele conheceu e se casou com Nancy Huggins. O casal mudou-se para Boston para que Charlie pudesse estudar direito na Harvard Law School.

Durante o ano de 1949, Charlie, Nancy e seus três filhos, Wendy, Molly e Teddy, se mudaram para a Califórnia, onde Charlie conseguiu emprego em um escritório de advocacia chamado Wright & Garrett.

Alguns anos mais tarde, quando Munger tinha 29 anos, ele e sua esposa vieram a se divorciar, depois de 8 anos de casamento, e no processo de separação, Munger perdeu o pouco que tinha, que era basicamente a casa do casal, em Pasadena – California.

Se isso não bastasse, meses mais tarde, seu filho Teddy, na época com 8 anos, foi diagnosticado com leucemia, e veio a falecer apenas um ano depois da descoberta da doença.

Aos 35 anos, Munger voltaria a se casar, dessa vez com Nancy Barry, esposa com a qual teve mais quatro filhos – Charles Junior, Emilie, Barry e Philip.

Charlie Munger voltou para Omaha no ano de 1959 e logo foi apresentado a Warren Buffett.

Os dois imediatamente se tornaram amigos e logo cultivaram o hábito de se falar por horas semanalmente a fim de discutir ideias de potenciais oportunidades de investimentos.

Assim, em 1962, Buffett teria convencido Munger a interromper seus trabalhos jurídicos para começar uma parceria de sucesso que a história pode contar por si só.

Segundo a revista Forbes, atualmente Munger é dono de uma fortuna de $1,5 bilhões, o que o faz ser o número 1.376º na lista dos homens mais ricos do mundo e o 446º nos Estados Unidos.

Investimentos

O fato de ser bem menos conhecido pelo público em geral quando comparado com seu sócio não diminui a sua credibilidade perante os olhares do mercado financeiro.

Embora Munger seja o número 2 na Berkshire Hathaway, seus resultados já eram bastante relevantes antes mesmo da parceria com Buffett.

Para implementar suas habilidades enquanto investidor, Munger costuma usar “modelos mentais” em suas metodologias que o auxiliam no seu processo de decisão.

Ele é um defensor do pensamento multidisciplinar, porque muitas vezes os conhecimentos de vários campos são necessários para obter conclusões ou buscar soluções para os complexos desafios que são frequentemente comuns no mercado financeiro.

Esse tipo de posicionamento permite que Munger não siga a multidão nos momentos de euforia ou retrações em massa do mercado, movimentos estes que são comuns na maioria das bolsas de valores pelo mundo.

Dessa forma, assim como Buffett, Munger consegue tirar proveito de maneira bem eficiente de sua estratégia voltada para o valor potencial das empresas, que é um atributo muito importante para qualquer investidor que procura manter seus investimentos baseados em fortes análises fundamentalistas com seu foco no longo prazo.

Em termos de estilo de investimento, Munger procura comprar empresas não somente tomando como base os seus preços, mas também costuma se basear na qualidade do negócio e as suas vantagens competitivas.

Isso faz de Munger uma das principais referências atualmente em relação ao Value Investing.

Certamente este tipo de abordagem favoreceu bastante para que Charlie Munger, Warren Buffett e a Berkshire Hathaway se tornassem esses fenômenos no mundo dos investimentos que são atualmente.

Além disso, Munger possui, assim como Buffett, um posicionamento interessante em momentos de “crises” do mercado.

Em 2009, por exemplo, no auge de uma das maiores crises de nossos tempos, Munger teria investido 71% do caixa da Daily Journal, uma pequena editora da qual é presidente, justamente em ações do setor que mais sofreu na ocasião, que foi o bancário.

Pode-se perceber, desta forma, que assim como seu sócio Buffett, Munger também gosta de se posicionar de maneira serena no mercado para esperar pacientemente pelos momentos oportunos que recorrentemente presenteiam aqueles que sabem esperar.

Checklist de Charlie Munger

Ainda em relação a seus investimentos, Charlie Munger costuma indicar um “checklist” no intuito de avaliar com mais precisão os fundamentos de uma empresa.

Porém, segundo o próprio Munger, é preciso que se use diferentes checklists e modelos mentais para diferentes empresas, já que cada caso apresenta uma complexidade particular.

Nesse sentido, os checklists podem ser precisos, eficientes e fáceis de se usar até mesmo em situações difíceis, porém, é preciso que fique claro que sua eficiência é limitada.

O checklist de Munger é dividido em dez pontos, cada um deles com sua devida importância e relevância:

Risco

Durante a realização de qualquer avaliação de investimento, é preciso primeiro que se calculem os riscos.

Independência

Tomar decisões por conta própria e ser independente. Depois do primeiro passo, o investidor deve tomar decisões com base nos riscos envolvidos. O que quer que se decida, o investidor deve ser o responsável pela escolha.

Preparação

É importante que o investidor se prepare e se planeje para prevenir-se de algumas complicações possíveis e iminentes no mercado.

Humildade Intelectual

O investidor deve ser humilde. Admitir que é sujeito a falhas é um passo muito importante para o autoconhecimento. Cometer erros é humano, e admitir seus erros é um sinal de humildade.

Rigor Analítico

A fim de reduzir erros, o investidor deve se preocupar em investigar minuciosamente o papel de interesse. Aceitar e admitir os erros é louvável, mas nada é tão bom quanto evita-los.

Diversificação

Ao se fazer qualquer tipo de investimento, a diversificação e a alocação dos ativos é uma atitude bastante inteligente para qualquer investidor.

Paciência

Essa é uma qualidade bastante notável que deve estar presente em todo investidor. Ter paciência significa saber esperar e para aproveitar de maneira eficiente as oportunidades nos momentos em que elas surgem.

Determinação

Ser determinado, confiante e agir com segurança em todas as situações que sejam apropriadas, principalmente naquelas em que as oportunidades se fazem reais.

Mudança

Todo investidor deve aceitar a mudança. Ela nada mais é que um fenômeno comum de qualquer negócio e investimento e que ocorre, em muitas das vezes, sem que esperemos. É importante que se tenha serenidade para aceitar as coisas que não podem ser modificadas e se adaptar ao novo cenário.

Foco

É preciso que o investidor preste atenção. Quando falta atenção e concentração, o investidor toma seu primeiro passo para o fracasso.

Basicamente, esse checklist é forma como Charlie Munger enxerga sua vida, o que reflete nos resultados de seus investimentos.

Se apropriar dessa lista usada por ele é uma excelente maneira de se sair bem em vários aspectos de nossas vidas.

Reunião Anual da Berkshire Hathaway

Como sendo sócio de Buffett, em todas as edições da reunião anual da Berkshire Hathaway, Munger é figura presente.

Este ano não foi diferente e, apesar da posição de coadjuvante na reunião, Munger teve participação notável no evento, tendo feito comentários relevantes sobre diversos assuntos, como especulações na bolsa – o que disse ser uma atitude “perigosa” –  e dando sua opinião sobre empresas de tecnologia, por exemplo.

Como em todas as ocasiões da reunião, o evento foi um sucesso, tendo atraído milhares de pessoas para a pequena cidade de Omaha no intuito de absorver os insights muito valiosos sobre empresas, mercados, economia, governança corporativa e diversos outros assuntos dessas duas lendas vivas dos investimentos.

É recomendável que todo investidor que tiver oportunidade compareça ao evento, certamente lições valiosas poderão ser absorvidas.

Filantropia

Assim como Warren Buffett, Charlie Munger também mantém o nobre hábito de distribuir, em forma de doações, partes notáveis de seus ganhos ao longo do tempo.

Ele era muito jovem quando ele deixou a carreira de advogado, mas ele ajudou muitas instituições jurídicas a continuarem prestando serviços notáveis aos estudantes de direito nos Estados Unidos. A Stanford Law School é uma delas.

Em 2004, por exemplo, ele contribuiu generosamente com ações da Berkshire Hathaway – que totalizavam, na época, um valor de 43,5 milhões de dólares – para a Stanford University, com a finalidade de construir alojamentos para alunos da instituição.

Outro exemplo de sua generosidade e sua preocupação com causas nobres foi sua doação de 3 milhões de dólares para a University of Michigan Law School no ano de 2007, para reforma de sistema de iluminação do complexo universitário.

Ele ainda contribuiu com 20 milhões de dólares para Lawyer School para a restauração de seus alojamentos no Clube de Advogados no ano de 2011. Esses alojamentos atualmente são nomeados em seu nome.

Esses são apenas alguns exemplos das campanhas de doações em prol de uma educação de mais qualidade para os jovens norte-americanos.

Atitudes notáveis como estas deviam servir de inspiração para todo ser humano, afinal, não há sentimento mais puro do que quando emanamos o bem para outras pessoas por livre e espontânea vontade, sem esperar nada em troca.

Leitura

Assim como seu sócio Buffett, Munger também mantém o hábito da leitura como uma das prioridades de sua vida.

Sem dúvida, esse costume em muito o ajudou para atingir o patamar no qual se encontra hoje.

Na última reunião da Berkshire Hathaway, quando perguntado sobre seus hábitos diários de leitura, Charlie Munger respondeu categoricamente:

“Eu leio 3 ou 4 jornais quando eu levanto da cama pela manhã, e eu sempre estou lendo dois ou três livros simultaneamente. Eu costumo sempre alterná-los durante a leitura. Isso é o que eu tenho feito a minha vida inteira. ”

Palavras como essas devem ser usadas como inspiração por todos que almejam resultados satisfatórios nos investimentos.

Como o próprio Munger diz, a leitura de jornais e livros deveriam ser prioridades na vida de qualquer investidor que busque sucesso em suas aplicações.

Frases

De tão notáveis que são, muitas figuras marcantes da história frequentemente tornam um conjunto de palavras em frases poderosas que têm o forte poder de influenciar as pessoas mesmo depois de muito tempo que foram ditas.

Com Charlie Munger não é diferente.

Algumas de suas frases nos transmitem uma reflexão bastante produtiva a respeito de nossos investimentos e de nossas vidas com um todo.

Por isso, nunca é demais reproduzi-las a fim de influenciar o maior número de pessoas com seus ensinamentos.

“Desde que eu tenha um livro em minhas mãos, eu não sinto que estou desperdiçando meu tempo. ”

Este é um belo exemplo de como esse notável senhor investe bem o seu tempo. A leitura realmente é libertadora!

“Se você pensa que o seu Q.I é 160, mas é 150, você é um desastre. É muito melhor ter um Q.I de 130 e pensar que é 120. ”

Como mencionado em seu checklist, investimentos e humildade estão diretamente relacionados. A humildade é uma característica notável em qualquer ser humano.

“Você se sairá melhor se gostar de algo que você tem aptidão. Se Warren [Buffett] tivesse ido para o ballet, ninguém nunca teria ouvido falar nele. ”

Faça aquilo que se identifique. Mudar a nós mesmos sem um propósito maior trará consequências negativas no longo prazo.

“A vida te dará terríveis golpes, golpes horrorosos, golpes injustos. Não importa. E algumas pessoas se recuperam e outras não. E eu acho que a atitude do Epíteto é a melhor. Ele achava que cada chance perdida na vida era uma oportunidade para se comportar bem, cada chance perdida era uma oportunidade para aprender algo, e que seu dever era não se deixar cair em auto piedade, mas utilizar o golpe terrível de maneira construtiva. Essa é uma ideia muito boa. ”

Os desafios da vida nada mais são que oportunidade de nos aperfeiçoarmos e nos tornamos pessoas melhores. Nada que vale a pena na vida é fácil de ser conquistado.

“Reconhecemos cedo quando pessoas muito inteligentes fazem coisa estúpidas, e nós gostamos de saber quem fez e o porquê, para que nós possamos evitá-las. ”

Aprender com os nossos erros é bom, mas aprender com os erros dos outros é melhor ainda.

Conclusão

Como sempre gostamos de destacar, aprender e nos inspirar com aqueles que são referências é a melhor maneira de evoluirmos.

Dessa forma, absorvermos ao máximo os conhecimentos e ensinamentos de pessoas com histórico louvável nas aplicações financeiras é uma excelente maneira de nos tornamos melhores investidores.

Por isso, tanto nos investimentos como em qualquer outro âmbito, o estudo e a busca pela evolução devem ser processos contínuos e com seus focos sempre voltados para o longo prazo.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.