chamada de capital

Nos livros de investimentos encontramos, entre os termos comuns do mercado financeiro, figura a “chamada de capital”.

O mercado de ações, em especial, é bastante familiarizado com a chamada de capital.

Chamada de capital acontece quando uma empresa precisa angariar recursos com uma finalidade específica. Isso, normalmente, implica na oferta ou subscrição de novas ações para a obtenção do valor que o empreendimento precisa.

Essas ações podem ser ofertadas para pessoas específicas ou para o mercado como um todo, de acordo com a preferência do empreendimento.

Elas também podem ter, ou não, ágio – taxa extra cobrada em operações financeiras como a subscrição de ações.

Só é preciso atenção a um detalhe: estas novas ações devem ser oferecidas, primeiramente, aos acionistas preferenciais da empresa que as oferta.

Somente as que não forem adquiridas pelos acionistas preferenciais podem ir ao mercado como um todo.

Vantagens da chamada de capital

chamada de capital

Vários motivos podem levar uma empresa a optar por uma chamada de capital.

Um empreendimento que precise adquirir um novo equipamento, contratar um profissional específico, ampliar sua sede ou abrir uma nova filial pode obter o valor que precisa por meio de uma chamada de capital.

Vale lembrar que ao emitir novas ações, a empresa está vendendo partes do seu negócio a um investidor, que visa retorno.

Então o investidor em questão, ao se deparar com uma chamada de capital deve procurar conhecer a companhia que oferta aquela ação e também o objetivo dela.

Isso porque esta pode ser uma grande oportunidade de investir em um negócio consolidado que não estava mais aberto a novos sócios.

Há ainda a possibilidade de apostar em um empreendimento promissor, que dará o tão desejado retorno.

Nem sempre o melhor investimento é o mais desejado naquele momento, não é verdade?

Chama de capital do cotidiano

chamada de capital

Fora do mundo de ações, essa solicitação só pode ser feita por pessoas jurídicas, sendo bastante comum em condomínios.

Por mais que o condomínio já tenha uma verba fixa mensal para a manutenção da sua área e funções, nem sempre ela é o bastante.

Por exemplo: se o condomínio precisará de um valor maior do que o previsto para consertar um vazamento, o elevador ou ampliar o estacionamento, será necessário obter esse dinheiro de alguma forma.

É aí que entra a opção de realizar uma chamada capital.

Nestes casos, não há exatamente uma oferta de ações, mas sim a solicitação de rateio dos gastos, que precisa ser aprovada em assembleia.

A aprovação irá depender das regras já estabelecidas em contrato pelos condôminos.

Pode ser que um condomínio exija maioria simples, enquanto outro demanda o aval de todos os moradores.

Uma das vantagens deste aporte de receitas extras é a diminuição dos custos correntes, para manutenção, em comparação com outras modalidades como empréstimos.

Os motivos para a realização de uma chamada de capital e também para a compra destas ações são muitos diferentes.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.