ConhecimentoInvestimentos

CDI: importante parâmetro de rentabilidade entre os ativos financeiros

By 27 de novembro de 2017 No Comments
O CDI é balizador na rentabilidade de ativos

Diversos são as siglas, as definições e os padrões existentes no mercado financeiro e de capitais e, neste sentido, o CDI se faz presente de maneira bastante representativa.

O CDI é, por sua definição, a abreviação de Certificados de Depósitos Interbancários e eles, por sua vez, são títulos de emissão das instituições financeiras.

Há de se destacar, dentro deste contexto, que as instituições financeiras emitem este título no intuito de lastrear as operações no mercado interbancário, ou seja, as operações neste mercado formado pelos bancos “seguem” este parâmetro de embasamento.

Características do CDI

As características de um CDI são semelhantes às de um CDB, porém, como mencionado anteriormente, as suas negociações são restritas ao mercado interbancário.

Com isso, sua função é, basicamente, transferir recursos de uma instituição financeira para outra.

Dessa forma, a taxa média do CDI é usada como parâmetro para avaliar a rentabilidade dos Fundos DI, e também é usada para avaliar o custo do dinheiro negociado entre os bancos no setor privado e, assim, pode render taxas de pré ou pós-fixadas.

O Banco Central tem uma regra que estipula que os bancos precisam fechar o dia com saldo positivo.

Quando isso não acontece, normalmente essas instituições pegam dinheiro emprestado de outros bancos que estão, naquele momento, com seu saldo positivo para, assim, manter o seu caixa em ordem.

Assim sendo, há de se destacar que não é possível se investir no CDI, isto por que, como mencionado, ele atua como uma referência entre bancos.

Taxa Selic

Por possuir as características acima mencionadas, o CDI é um indexador para diversas modalidades de investimento em Renda Fixa e, ainda, possui uma ligação direta com a Taxa Selic, pelo simples motivo desta ser a taxa básica de juros de nossa economia.

Com isso, pode-se perceber que essas duas definições servem muito bem como parâmetros utilizados no mercado para se medir a rentabilidade dos diversos tipos de investimentos disponíveis.

Em outras palavras, isso pode ser explicado pelo fato de que, ao se analisar bem esse parâmetro, é possível perceber que a rentabilidade bruta anual de uma aplicação não é tão importante quanto muitas pessoas pensam, pois na verdade o que é mais levado em consideração é qual é proporção deste parâmetro que esses investimentos tiveram no decorrer do período de tempo em questão.

Assim, uma forma bastante coerente de se saber um investimento foi bem feito, é equiparando-o a quantos por cento desta métrica financeira esta aplicação representou e não, realmente, quando a carteira rendeu no período.

Conclusão

Este parâmetro é muito utilizado como um benchmark de aplicações financeiras, principalmente as de renda fixa de características pós-fixadas e, dessa forma, é muito importante que um investidor domine, de antemão, os principais conceitos desse mecanismo bastante relevante na economia do país.

Dessa forma, ficou claro perceber que entender a relação que existe na comparação da rentabilidade de uma carteira de investimentos – seja em renda fixa ou variável – com a do CDI no mesmo período informa muita coisa a respeito da qualidade dos ativos presentes naquelas aplicações.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.