capital próprio

Você sabe o que define o capital próprio de uma sociedade?

Entender a diferença entre capital próprio e capital de terceiros é importante ao analisar o balanço patrimonial para verificar a situação financeira da companhia.

E esse capital que chamamos de próprio corresponde ao patrimônio líquido da companhia, também chamado de capital do acionista.

É portanto, uma medida da riqueza dos acionistas que está dentro da sociedade.

Ou seja, de forma aproximada, caso a empresa encerrasse suas atividades na data do balanço, os acionistas teriam direito a embolsar esse valor correspondente ao patrimônio.

Ainda, esse capital dos acionistas é composto por várias contas, e as principais são:

  • Capital Social
  • Reservas de Lucros
  • Lucros ou Prejuízos acumulados

Então, vamos ver resumidamente o que significa cada uma delas.

O Capital Social inclui o dinheiro que os acionistas fundadores da companhia colocaram na empresa, além de recursos provenientes de novas subscrições de ações.

Já a conta de reservas de lucros inclui a parcela dos lucros que é retida pela companhia para um fim específico. Por exemplo:

  1. Reserva Legal (5% do Lucro Líquido do exercício)
  2. Reserva Estatutária (se estiver prevista no Estatuto Social)
  3. Reserva para Contingências

Mas essa divisão do capital em contas é algo que não é muito relevante para o investidor individual.

Por exemplo, quando a companhia realiza uma bonificação em ações, o dinheiro passa da conta de Reserva de Lucros para o Capital Social, sem alterar o valor total do patrimônio líquido.

De fato, existe uma demonstração que trata apenas das mudanças nessas contas. Esse informe se chama Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL), e é obrigatório.

Veja um exemplo abaixo do DMPL das Lojas Hering entre 2016 e 2017:

DMPL Hering

DMPL Hering

Porque analisar o capital dos acionistas

capital dos acionistasAo comparar o patrimônio líquido com o capital de terceiros você poderá calcular indicadores de endividamento.

Ou então, poderá avaliar a prática de recompra de ações da companhia, pois sempre que a empresa recompra suas ações, o patrimônio diminui.

Por fim, uma reserva de lucros cheia pode significar que a empresa poderá pagar algum dividendo extraordinário no futuro próximo. É o caso da Unipar, que pagou um dividendo muito grande em 2017.

Mas é importante não confundir o capital dos acionistas com o valor da ação. Geralmente, o patrimônio é uma medida que subestima o preço justo da ação.

Por exemplo, as empresas que apresentam crescimento elevado geralmente são negociadas por muitas vezes o valor do patrimônio.

Isso é compreensível, pois essas companhias apresentam marcas muito fortes, alta fidelização dos clientes, e esses fatores não são registrados no balanço da empresa. Além disso, essas empresas possuem uma escala muito grande, e com o mesmo patrimônio, podem aumentar a receita e lucros.

Embora seja evidente que no longo prazo, espera-se que o patrimônio aumente de uma forma ou de outra. Seja pela retenção de lucros ou pela própria expansão do negócio.

 

Conclusão sobre o Capital Próprio

conclusão sobre o capital proprioO capital próprio é a riqueza dos donos que está na companhia. Mas isso não deve ser confundido com o preço justo ou o valor do negócio. Apesar dessas limitações, olhar o patrimônio líquido permite avaliar a solidez financeira do negócio, a prática de recompra de ações e um possível dividendo extraordinário.

 

Compartilhe a sua opinião
Rodrigo Wainberg

Rodrigo Wainberg

Profissional aprovado no Level III da certificação CFA, investidor em ações há 6 anos, possui registro de Analista e Consultor de Valores Mobiliários, e é Bacharel em Física pela UFRGS.