câmbio fixo

O regime cambial é um dos elementos principais dentro da economia de um país. Dentre as diversas formas de se realizar as trocas cambiais entre uma moeda e outra, uma das conhecidas é o chamado sistema de câmbio fixo.

O câmbio fixo foi muito utilizado no passado com forma de conter a inflação — como ocorreu, por exemplo, nos primeiros anos de implantação do Plano Real. Atualmente ele não é amplamente empregador por países, que preferem outras formas de flutuação da moeda. No entanto, algumas economias ainda se utilizam do câmbio fixado.

O que é câmbio fixo?

O regime de câmbio fixo é aquele tipo de câmbio no qual o valor de uma moeda é fixado em relação a uma moeda estrangeira ou a um valor de referência. Tipicamente é utilizada uma moeda estrangeira, que costuma ser o dólar.

Um exemplo desse tipo de sistema é a política monetária aplicada na economia argentina nas décadas passadas, que durante muito tempo manteve o valor de sua moeda indexado à moeda americana. Nessa época, cada 1 peso valia um dólar.

Principais características e vantagens do regime de câmbio fixo

A principal vantagem do câmbio fixo, e o argumento utilizado pelos seus defensores, é que ele é eficiente para conter a inflação.

Ao indexar o valor de uma moeda a um ativo mais estável é menos provável que uma moeda perca valor. Portanto, é menos provável que ocorra um grande surto de inflação.

No entanto, é muito difícil uma política de câmbio fixo ser mantida por um longo período de tempo. Isto porque ela pode causar distúrbios no comércio global e situações artificiais e não sustentáveis na economia.

Por isso, muitos economistas recomendam que esta medida seja utilizada apenas temporariamente e em casos extremos.

câmbio fixo

Utilização do câmbio fixo no Brasil

O câmbio fixo no Brasil, por exemplo, foi utilizado desta forma. Durante o Plano Real, o câmbio foi fixado por um curto período de tempo para permitir a contenção da inflação.

A inflação na época era caótica, estando a economia em um estado de hiperinflação. Por isso, se foi necessária esta medida.

Entretanto, posteriormente o câmbio foi se tornando cada vez mais livre até chegar ao regime atual. Por isso, pode-se dizer que a medida de câmbio fixo no Brasil foi implementada com grande sucesso e atingiu seu objetivo. Afinal, a inflação se encontra atualmente controlada e em níveis irrisórios se comparado aos do passado.

Limitações e desvantagens do regime de câmbio fixo

A principal desvantagem do câmbio fixo está no desequilíbrio que ele pode causar na balança comercial e em todo comércio exterior praticado pelo país. Principalmente se for uma economia que depende muito de exportações.

Nesse caso, fixar o câmbio em valores baixos, como por exemplo, paridade direta de R$ 1 para $ 1 dólar pode tornar as exportações insustentáveis. Tal medida pode fazer com que empresas fechem e pessoas sejam demitidas. Esta, obviamente, não é uma situação desejada pelas autoridades econômicas.

Por outro lado, um câmbio altamente depreciado pode dificultar as importações.

Como o câmbio fixo é visto atualmente pelos economistas?

Por todas essas questões, a maioria dos especialistas no tema se posiciona em favor da liberdade cambial. O câmbio se ajustaria naturalmente em uma medida que fosse sustentável para a manutenção dos negócios.

Conforme uma economia se torna mais saudável em desenvolvida, é natural que o câmbio se aprecie. Ou seja, que o valor do dólar em relação ao real caia.

Isto feito ao longo do tempo e de forma natural não tende a causar problemas no comércio exterior.

Porém, alguns países ainda insistem em utilizar das vantagens do câmbio fixo para se beneficiar no comércio. Ao propositalmente depreciar a sua moeda, as margens das exportações se tornam maiores.

A China é constantemente acusada pelos Estados Unidos de más práticas cambiais. Embora não pratique um câmbio fixo, o câmbio chinês é altamente controlado pelo seu Governo.

Assim como o câmbio fixo, existem diversos outros sistemas cambiais que podem ser adotados por uma economia, Por isso, conhecer como funciona o regime cambial dos mais diversos países é essencial para quem se interessa por investimentos no exterior. Mas para aprender melhor essa e outras questões, preparamos um material especial: baixe o nosso E-book Investindo no Exterior agora mesmo e aprenda tudo sobre como investir fora do país da melhor forma.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.