Se existe uma palavra no mercado de ações que é bastante almejada, ela se chama bonificação.

Nesse sentido, é interessante destacar que, para haver uma bonificação, é necessário se obter excelentes resultados.

O que é a bonificação?

A bonificação é a distribuição gratuita de novas ações aos acionistas de uma empresa. Essa divisão se dá em cima do aumento de capital de uma sociedade, mediante a incorporação de reservas e lucros, quando são distribuídas gratuitamente novas ações a seus acionistas, em número proporcional às já possuídas. Isto é, o acionista não recebe dinheiro, mas sim, ações.

Diante disso, é interessante lembrar que não há entrada de novos recursos na empresa, acontecendo apenas aumento na base acionária.

Portanto, com esse aumento de ações, o movimento natural é que o preço individual da ação recue no mercado.

Entretanto, vale lembrar que o preço da ação sofre alteração, mas o patrimônio total fica inalterado.

Como calcular a bonificação das ações

Bonificação

Na data ex-bonificação o preço da ação é ajustado automaticamente de modo que o valor de mercado não se altere.

Os acionistas que tem direito são os que compraram até um dia antes da data ex-bonificação.

Exemplo:

O investidor tinha 1.000 ações, que estavam cotadas a R$ 10,00 um dia antes do ex-bonificação.

Isto posto, vamos supor que seja uma bonificação de 20%. Logo, o investidor ganhará 200, passando a ter 1200 ações. Veja:

Nova cotação = 1.000 x R$ 10,00 /1200

Nova Cotação = R$ 10.000,00 / 1.200

Nova Cotação = R$ 8,33

Perceba que o investidor não ganhou nada, apenas “trocou seis por meia dúzia”.

Porém, com a redução do valor da ação, pode haver mais negócios e um maior volume financeiro, obtendo assim, um aumento de liquidez.

Isso se dá, devido à combinação do menor preço da ação, que atrai pequenos investidores, com o maior número de ações em circulação.

Outro ponto importante é referente à parte fracionária do cálculo. Entenda:

Se o investidor possuía 33 ações e a empresa anunciou uma bonificação de 20%, ele ganhará 6,6 ações novas.

Porém, o valor referente à fração de 0,6 será creditado em dinheiro porque não completou 1 ação.

Dessa forma, são realizados leilões para venda dos fracionários dos diversos investidores de forma agrupada.

Os efeitos da bonificação nas ações

Apesar da bonificação provocar uma queda nos preços das ações, o objetivo não é aumentar a liquidez, mas sim o capital social da empresa.

Entretanto, isso é um bom sinal, pois o investidor terá mais ações da empresa sem ter que colocar mais dinheiro nela.

Nesse sentido, isso significa que terá direito a receber mais dividendos na próxima distribuição e também que seu patrimônio vai aumentar.

Por outro lado, uma empresa que decide fazer bonificações em ações, geralmente o faz utilizando a reserva de lucros, transferindo parte do montante para o capital social.

Logo, é de se esperar que a empresa seja capaz de lucrar e aumentar suas reservas, demonstrando que a administração tem feito um bom trabalho.

Então, uma empresa que realiza bonificações só o faz se for capaz de gerar grandes somas de recursos, do contrário, utilizaria esse montante para outros objetivos.

Por fim, se os fundamentos se manterem sólidos, as chances são de que, uma empresa que realiza uma bonificação aos seus acionistas seja capaz de gerar valor aos investidores no longo prazo e, portanto, a queda no curto prazo de preço será amplamente compensada no futuro.

Compartilhe a sua opinião

Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.