Acesso Rápido

    Base monetária: saiba o que é e suas consequências para a economia

    Base monetária: saiba o que é e suas consequências para a economia

    Muitos economistas dedicam o seu estudo à base monetária.

    A base monetária pode influenciar muitos indicadores importantes para a economia de um país, tais como a inflação.

    A base monetária é o total de moeda em circulação mais as reservas bancárias dos bancos comercias mantidas no Banco Central (Bacen). Ela é, portanto, a parcela de maior liquidez da oferta de moeda da economia.

    A oferta da moeda abrange, além da moeda em circulação e das reservas bancárias, outros ativos que podem ser convertidos em reais.

    Esta oferta de moeda é classificada de acordo com o seu grau de liquidez. Podendo ser considerada, da maior para a menor liquidez, dos seguintes tipos:

    • M1: É a base monetária mais os depósitos à vista
    • M2: Inclui o M1 mais as aplicações financeiras de curto prazo
    • M3: Inclui o M2 mais as cotas de fundos de renda fixa
    • M4: Inclui M3 mais outros títulos disponíveis na economia, tais como os títulos privados.

    Pode-se perceber que, conforme o grau de liquidez se reduz, a oferta de moeda se torna cada vez mais abraagente.

    A base monetária e o multiplicador bancário

    o impacto do multiplicador bancário na oferta de moeda

    Uma das forma que o Banco Central tem para interferir na oferta de moeda em uma economia é o multiplicador bancário.

    Os bancos tem o poder de criar moeda escritural, isto é, de emprestar recursos na economia.

    O volume desses empréstimos depende da exigência de reserva bancário que o Bacen exige que os bancos mantenham.

    Por exemplo, suponha que você deposite R$ 100 no banco. Este valor não será mantido lá a espera do seu resgate, mas será emprestado na forma de crédito.

    O banco não pode, porém, emprestar todo este recurso. Ele deve manter ao menos uma parte de forma a gerar uma estabilidade ao sistema e de prover liquidez aos resgates solicitados ao banco.

    O Banco Central define o quanto o banco precisa manter como reserva. Quanto maior for esta reserva menos o banco poderá emprestar, portanto, menor será a oferta de moeda líquida na economia.

    A fórmula do multiplicador monetária é:

    M = 1 / R

    Sendo R o percentual de reserva exigido pelo Banco Central e M o multiplicador monetário.

    Suponha que este R seja de 20%, neste caso o multiplicador será:

    1 / 0.20 = 5

    Ou seja, o multiplicador será 5, e o seu depósito de R$ 100 se transformará em R$ 500 na economia.

    Agora suponha que o Bacen reduza para 10% a reserva exigida. Neste caso o multiplicador monetário será:

    1 / 0.10 = 10

    Ou seja, o seu depósito de R$ 100 agora pode se tornar em R$ 1 mil.

    Observe, portanto, como este é um poderoso instrumento de política monetária.

    Consequências

    A gerência da oferta de moeda deve ser feita com muita cautela por parte do Bacen.

    Isto ocorre pois a sua expansão pode causar uma inflação geral na economia.

    Uma das principais funções do Banco Central é manter o poder de compra da moeda.

    Uma grande parte do trabalho do Bacen é gerir a base monetária e a oferta de moeda de forma que seja permitido o crescimento sustentável da economia e a inflação seja mantida sobre controle.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • LUIZ EDMUNDO 31 de outubro de 2019

      Bela aula. Sucinta e completa. Obrigado!

      Responder