banco comunitário
Por: Tiago Reis

Banco comunitário: entenda como funciona esse tipo de instituição

Um banco comunitário é um instrumento que visa a inclusão financeira e bancária da população de baixa renda. Além disso, promove o desenvolvimento econômico da comunidade local.

Como consequência, o banco comunitário torna o sistema financeiro mais democrático em locais com alto grau de vulnerabilidade e desigualdade social.

O que é um banco comunitário?

O banco comunitário é uma associação comunitária que presta serviços financeiros solidários, de forma associada e comunitária. Ele é autônomo e faz sua autogestão, então não existe filial para esse tipo de banco.

Além disso, a sua criação e administração é feita pela própria comunidade local.

Cabe lembrar ainda que esse sistema se baseia em princípios de confiança mútua entre as pessoas e economia solidária. O objetivo é promover o desenvolvimento econômico e social de regiões de baixa renda e carentes de acesso aos bancos convencionais.

Histórico dos bancos comunitários no Brasil

O banco Palmas, Fortaleza-CE, foi o pioneiro e criou o primeiro banco comunitário brasileiro em 1998. Esse banco se desenvolveu muito e hoje aplica sua metodologia de trabalho para diversos outros bancos comunitários.

Ao longo do tempo, diversos outros bancos foram criados e hoje em dia são mais de 100 espalhados pelo Brasil.

Como ponto em comum entre todos esses bancos de operação local está em desenvolver a comunidade sem visar ao lucro.

Serviços oferecidos pelo banco comunitário

banco comunitário

Cada banco possui uma dinâmica específica alinhada com a demanda da comunidade, ou seja, nem sempre oferecem todos os serviços disponíveis. Mas, de uma forma geral,os serviços disponibilizados pelos bancos comunitários são:

  • Crédito produtivo: para incentivar a criação ou ampliação de novos negócios.
  • Crédito para consumo: feito em moeda social para estimular o consumo local.
  • Fundo solidário para compras conjuntas: feito por um grupo de empreendedores de um mesmo ramo de atividade para conseguir melhores preços junto ao fornecedor
  • Microsseguro: Seguro de vida que contempla auxílio funeral e indenização por morte natural ou acidental. Deve ser registrado na SUSEP
  • Correspondente bancário: permite realizar pagamentos e recebimentos de faturas dos bancos comerciais
  • Educação financeira: Através de cursos gratuitos e palestras orientado para temas como finanças pessoais.

Já com relação à poupança, a legislação financeira não permite que o banco comunitário faça esse tipo de captação ainda.

Como funciona a moeda social nos bancos comunitários?

A moeda social deve ser lastreada e indexada em moeda nacional, além disso, deve permitir o câmbio com a moeda real.

Por sua vez, a circulação deve ser restrita o território de atuação do Banco comunitário. Ao mesmo tempo, ela não pode ser imposta, ou seja, ser de livre aceitação pelos moradores e comércio local.

A frente da moeda deve ser identificada com a entidade gestora do banco. Já no verso, deve ter um texto explicando que se trata de um “bônus” que promove o desenvolvimento local. Deve informar também que é de uso exclusivo para troca de produtos e serviços na comunidade.

Por fim, cabe lembrar também que é vedado a cobrança de juros para empréstimo em moeda social.

Um banco comunitário visa integrar a comunidade no sistema financeiro além de incentivar o desenvolvimento da educação financeira. Baixa agora a nossa planilha da vida financeira para entender e planejar cada etapa da sua vida financeira também.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

1 comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • izaias 18 de setembro de 2019

    como abrir um banco solidario ou comunitario?

    Responder
Leia Mais...
Outras Seções

Ações

210 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs
accounting (1)

Minicurso Gratuito

Contabilidade Para investidores

Aprenda os principais conceitos sobre contabilidade que todo investidor precisa saber!