O balanço patrimonial comumente é tido como a mais fundamental demonstração financeira existente. Ele demonstra como de fato está o patrimônio da empresa, bem como sua posição financeira em um determinado momento.

Percebam que, ao contrario das demonstrações de resultado do exercício (DRE), o balanço patrimonial se refere a uma determinada data, não a um ano ou um trimestre. As empresas podem gerar um balanço patrimonial em qualquer data do ano.

Por isso, é importante que se considere o balanço patrimonial como uma “foto” instantânea das condições financeiras da empresa naquele momento.

Estrutura do balanço patrimonial

O balanço patrimonial é dividido em duas partes: a primeira parte trata-se dos ativos da empresa, que podem ser de vários tipos como caixa, contas a receber, estoques e ativo imobilizado.

Já a segunda parte trata dos passivos e do patrimônio líquido da companhia.

Sobre o conceito de passivo, temos dois tipos: passivo circulante e passivo não circulante.

O primeiro significa dinheiro devido a pagar no prazo inferior a um ano, nessa conta são inclusas dívidas financeiras, pagamentos de fornecedores, provisionamentos entre outros. Já o passivo não circulante significa dinheiro devido a prazos superiores a um ano.

Por fim, se pegarmos os ativos e subtrairmos dos passivos, obteremos o patrimônio líquido da companhia, número este que representa a parte que realmente pertence aos sócios da empresa naquele momento.

Segue a formula:

Ativos – Passivos = Patrimônio Líquido

Vamos a um exemplo: Se uma empresa tem R$ 100 mil em ativos e possui R$ 40 mil em passivos obteremos nessa conta, segundo a equação acima descrita, um total de patrimônio líquido de R$ 60 mil.

Estrutura de capital

Para que o investidor obtenha lucros com seu projeto empresarial é fundamental que as fontes de recursos desse negócio tenham um custo menor que a rentabilidade de um projeto.

Não adianta nada uma companhia pegar uma linha de crédito com juros de 15% para tocar um projeto que, nas contas de seus gestores, irá lhe pagar cerca de 12%.

Então se um bom projeto, a luz de uma boa análise de futuros resultados, demonstrar que captar recursos de terceiros (passivos) é viável a fim de obter lucro com o investimento, a companhia poderá captar esse recurso para aumentar a seus lucros.

Outro ponto muito importante de se analisar na hora de fazer uma captação de recursos, é sobre a questão da maturação dos investimentos.

Um exemplo prático disso é quando um empreendedor que atua em qualquer setor deseja comprar uma máquina que será utilizada por muito tempo, nesse caso, não adianta esse empreendedor captar um recurso no curto prazo, pois ele não vai conseguir pagar o novo empréstimo com os rendimentos obtidos com a nova máquina em funcionamento.

Balanço patrimonial na prática

Segue abaixo um exemplo de um balanço patrimonial:

Cabe ressaltar que esses dados são facilmente encontrados nas seções Relação com Investidores dos portais na internet das companhias que possuem o seu capital aberto.

É importante perceber que os ativos circulantes são ativos que podem ser facilmente transacionados num prazo de 12 meses, por isso são listados como circulantes, já os ativos não circulantes, em geral são ativos que não podem ser transformados em recursos líquidos no curto prazo.

Ainda no quadro dos ativos não circulantes, logo abaixo dos ativos permanentes, podemos ver que existe a linha de imobilizado, que nada mais são do que bens necessários para a manutenção das atividades da empresa. Em geral são imóveis e maquinas necessários para a continuidade das operações.

Na linha de passivos temos todos os futuros custos e despesas que a empresa terá no futuro.

Ao contrário do que muitos pensam, passivos não são somente dívidas bancárias, sua abrangência vai bem além disso. Esses podem ser aluguéis, salários e impostos a pagar, entre outros.

Por fim, temos a linha de patrimônio líquido, que nada mais é que a subtração dos ativos pelos passivos, resultando no número ali representado por essa operação.

Conclusão

A intimidade com o balanço patrimonial de uma companhia é de suma importância para o investidor, bem como seus sócios em um determinado empreendimento. Ele traz importantes informações sobre as fontes e recursos empregados para o funcionamento da empresa.

Desse modo, é completamente viável afirmar que a análise do balanço patrimonial, juntamente como dos demais indicadores importantes, é peça chave para os prognósticos necessários para o aumento da rentabilidade de um projeto.

Comentários
Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.
Tags:

©2017 SUNO RESEARCH | Investimentos inteligentes

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account