Balancete de verificação
Por: Tiago Reis

Balancete de verificação: conheça a função deste demonstrativo

Toda empresa deveria fazer uso do balancete de verificação em sua rotina financeira.

Isso porque o balancete de verificação é utilizado como base na elaboração de obrigações acessórias como a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE).

O que é o balancete de verificação?

O balancete de verificação é um relatório gerado pela Contabilidade de uma empresa que tem por objetivo apresentar uma demonstração de como andam as contas da empresa. Seu público alvo, em geral, é a área financeira da companhia.

Porém, se apresentado aos gestores do negócio, ele pode ser usado como uma ferramenta que auxilia nos processos de tomada de decisão.

Isso porque a partir dele é possível acompanhar:

  • A evolução das receitas;
  • A margem de lucro dos produtos;
  • O cumprimento das metas estabelecidas para o período.

É uma forma de monitorar se o negócio está dando certo.

Usos do balancete de verificação

Dentro da Contabilidade, a função do balancete de verificação é verificar se o Método das Partidas Dobradas está sendo verificado pela empresa.

O Método das Partidas Dobradas, também conhecido como Método Veneziano, determina que para cada débito haja um crédito correspondente no mesmo valor.

Contabilidade para Investidores

Lembrando que tanto no balancete quanto no balanço patrimonial existem o ativo e o passivo.

Assim, para cada item do ativo, haverá um passivo correspondente. E é este funcionamento o que esta ferramenta analisará.

A periodicidade do balancete pode ser mensal, quinzenal ou diário.

Porém, com o balancete de verificação mensal é mais a mais comum e é utilizada para prevenir erros que possam gerar prejuízos para o negócio.

Além de ter um controle mais efetivo do que acontece com as contas do negócio, especialmente em débito e crédito.

Apesar disso, este é um demonstrativo contábil não obrigatório.

Entretanto, como estes dados são a base do balanço patrimonial, que, por sua vez, é obrigatório para a maior parte dos negócios.

Por isso, é recomendado que a empresa elabore seu balancete.

Acompanhamento Suno

Estrutura do balancete de verificação

Este documento é composto pelos lançamentos contábeis feitos no período analisado.

O balancete de verificação de uma empresa é, em geral, composto pelo ativo, pelo passivo e pelo patrimônio líquido.

Porém, ele pode ser feito de uma forma mais simples, na qual constem apenas os saldos anterior e final.

Mas há também o modo mais completo, com os saldos iniciais, débitos e créditos, além dos saldos finais.

Neste modelo do documento, precisam estar descritas tanto as contas patrimoniais quanto as de resultado.

Com cada conta detalhada individualmente. O que inclui a depreciação acumulada.

Esta versão é a que mais beneficia os gestores do negócio, uma vez que deixam as movimentações claras e fáceis de ler.

Entretanto, a escolha da metodologia fica a cargo de cada empresa, com os dados que lhes são mais relevantes.

Mas, independente da versão escolhida, nele é preciso constar o cabeçalho indicando nome da empresa e a data de elaboração do balancete.

A leitura deste documento é mais simples do que a do balanço patrimonial. O que não significa que não existirão dúvidas.

Então, quem deseja compreender essa demonstração contábil pode participar do curso de Contabilidade para Investidores, oferecido pela Suno Research.

Esta é uma forma bem prática de desvendar os mistérios por trás do balancete de verificação de um empreendimento.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

181 artigos
Ações

FIIs

48 artigos
FIIs

Minicurso Gratuito

Contabilidade Para investidores

Os principais conceitos sobre contabilidade que todo investidor precisa saber!