balança de serviços

Todo país possui troca importa e exporta produtos com o restante do mundo. Porém, essas trocas não se limitam apenas ao nível comercial, já que a prestação de serviços e demais atividades relacionadas também são consideradas uma transação. Por isso, para contabilizar esse tipo de relação, existe a Balança de Serviços.

A Balança de Serviços é um dos itens mais importantes dentro Balança de Pagamentos de um país. Por meio dela é possível saber, por exemplo, a abertura global de um país em relação dentro da economia mundial.

O que a balança de serviços?

A balança de serviços é o registos de todas as prestações de serviços e rendimentos de capitais realizadas entre um país e o exterior. Ou seja, é na balança de serviços que são contabilizados a importação ou exportação de serviços, bem como as transações com transportes, viagens internacionais, seguros, pagamento de royalties e remessa de lucros e juros.

Juntamente com a balança comercial e com a balança de transferências unilaterais, a balança de serviços é um dos elementos que fazem parte do saldo de transações correntes de um país. Este, por sua vez, é um dos principais componentes da balança de pagamentos.

Qual é a composição da Balança de Serviços?

A Balança de Serviços é composta por dois grupos principais: a conta de serviços e a conta de rendas.

  • Serviços: contabiliza as transações com prestação de serviços em geral. São levados em conta os pagamentos e recebimentos de fretes, transportes, seguros, gastos com viagens internacionais, royalties, direitos autorais, atividades profissionais e pessoais, alugueis e serviços governamentais. Essa conta também é chamada de Serviços Não-Fatores.
  • Rendas: contabiliza as transações de serviços exclusivamente financeiros. Ou seja, o grupo inclui pagamentos efetuados e recebidos do exterior e remunerações derivadas dos fatores de produção – como investimentos, lucros, juros e dividendos. O grupo também pode ser chamado de Serviços Fatores.

Com isso, a Balança de serviços de um país é constituída dos seguintes itens:

Serviços Não-Fatores

  • Transportes;
  • Viagens internacionais;
  • Seguros;
  • Serviços empresariais, profissionais e técnicos;
  • Serviços pessoais, culturais e de recreação;
  • Serviços comerciais;
  • Serviços financeiros;
  • Royalties e licenças;
  • Aluguéis de bens de capital e equipamentos;
  • Serviços Governamentais (juros da dívida);
  • Serviços diversos;

Serviços Fatores (Rendas)

  • Salários, ordenados e demais remunerações;
  • Renda líquida de investimentos;
  • Lucros reinvestidos no país;
  • Juros de empréstimo interempresariais;
  • Renda de investimentos em carteira;
  • Renda de outros investimentos;

Como calcular o saldo da Balança de Serviços?

O saldo da Balança de Serviços é definido pelas diferença entre receitas e despesas das operações de serviços fatores, somadas com a diferença entre receitas e despesas das operações de serviços não-fatores.

Dessa forma, o cálculo da Balança de Serviços é dado pela seguinte fórmula:

  • Balança de Serviços = (Xnf – Mnf) + (Xnf – Mnf)

Onde:

  • Xf = Receita de exportação de serviços fatores;
  • Mf = Despesa de importação de serviços fatores;
  • Xnf = Receita de exportação de serviços não-fatores;
  • Mnf = Despesa de importação de serviços não-fatores.

Como interpretar o resultado da balança de serviços?

Normalmente, o desenvolvimento econômico de um país resulta em um deslocamento de importância do setor produtivo (indústrias) para o setor terciário (serviços). Por isso, muitas vezes é melhor que um país apresente um saldo positivo na balança de serviços, em vez de um saldo positivo na balança comercial.

Ou seja, muitas vezes um déficit comercial não significa que o país está, efetivamente, perdendo em suas relações com os outros países. Isso acontece porque, final das contas, a produção industrial irá resultar apenas em uma relação de consumo. Dessa forma, do ponto de vista econômico, tanto faz se o país está importando ou exportando.

Mas na balança de serviços, um resultado negativo representa que o país não está acumulando capital para realizar seus investimentos. O déficit, nesse caso, significaria que o país depende dos recursos, serviços e tecnologia externas para se desenvolver.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.