avalista

Certamente ao tentar retirar um empréstimo no banco, muito provavelmente uma instituição financeira solicitou um avalista para realizar essa operação.

Para uma instituição financeira, a existência de um avalista é um fator essencial para a segurança no fornecimento de um empréstimo.

Desse modo, podemos dizer que o avalista trata-se de uma pessoa responsável pela quitação de uma transação financeira.

Essa responsabilidade, no entanto, somente será acionada no caso em que solicitante do empréstimo não pague o que deve.

Para aqueles que pedem um empréstimo, a existência desse indivíduo pode tornar muito mais fácil a realização dessa transação.

A importância da existência de um avalista

avalistaA exigência de uma pessoa para avalisar um empréstimo é sempre com o objetivo único e exclusivo de dar mais segurança para os credores que aquela dívida será paga.

Portanto, é necessário que esse indivíduo aceite assumir o ônus solidariamente, respondendo, caso seja necessário, com o seu próprio patrimônio.

Normalmente para avalisar um empréstimo, é necessário que a pessoa possua os seguintes critérios:

  • Ter mais de 18 anos;
  • Possuir um bom histórico de crédito;
  • Ter renda suficiente para cobrir o pagamento da dívida.

No entanto, podem existir outras regras e exigências, das quais podem mudar de instituição para instituição.

Importante mencionar que não poderá haver penhora dos bens da família do avalista com o objetivo de satisfazer a dívida existente.

Porém, mesmo assim, é necessário que essa pessoa pense muito bem antes de aceitar ser responsável por uma obrigação da qual provavelmente não usufruirá de nada.

Pois o avalista entrará gratuitamente nesse contrato (o aval) como sendo pura e simplesmente um voluntário altruísta, do qual não receberá nenhuma remuneração pelo serviço prestado ao banco.

Diferença entre o avalista e o fiador

avalista

Diferença entre o avalista e o fiador

Existe uma diferença básica entre esses dois indivíduos. Normalmente para liberar um crédito, os bancos exigem uma pessoa para avalisar o mesmo.

No entanto, no caso do fiador, essa pessoa é requisitada em transações de caráter imobiliário, como por exemplo, contratos de locação.

Em ambos os casos, esses indivíduos são os responsáveis pelo pagamento de uma dívida não quitada. No entanto, existe algumas diferenças que valem a pena ser citadas.

Um indivíduo que avalisa um empréstimo não será obrigado, por exemplo, a pagar todos os juros, multas e outras taxas que eventualmente poderão ser cobradas por crédito pedido.

Já no caso de um fiador, essa pessoa será responsabilizada por todas essas obrigações, caso a dívida não seja paga.

O fiador nos casos de locação, por exemplo, arcará com os valores dos aluguéis não pagos, juros e multas oriundas da quebra de contrato.

Outra diferença essencial está no momento da ordem de execução. Um fiador somente será acionado caso muitas tentativas de acerto não tiverem sucesso.

Por fim, já no caso de um empréstimo avalisado, a pessoa é acionada já na primeira parcela não paga pelo devedor.

Portanto, é preciso que uma pessoa pense bastante antes de decidir entrar como sendo avalista de um parente ou amigo, pois muita dor de cabeça poderá vir a acontecer caso as coisas não aconteçam como o planejado.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.