ataque especulativo
Por: Tiago Reis

Ataque especulativo: entenda como ele pode desvalorizar uma moeda

Um país com uma moeda fragilizada está suscetível a ataque especulativo em seu sistema de políticas cambiais.

O sistema cambial fixo é muito mais vulnerável a ataque especulativo, em decorrência da necessidade de manter a paridade das moedas. Contudo esse tipo de especulação cambial pode ocorrer também em países com câmbio flutuante.

O que é ataque especulativo?

Ataque especulativo é uma ação promovida por investidores estrangeiros no mercado de câmbio para provocar uma desvalorização significativa da moeda local, em relação a uma moeda de referência (como o dólar, por exemplo).

Ele ocorre quando há fuga em massa de capital estrangeiro do país a fim de lucrar com a desvalorização da moeda. O processo consiste em comprar e revender ativos para antecipar o valor de mercado lucrando no delay do seu ajuste natural.

Como ocorre um ataque especulativo?

Esse tipo de especulação cambial depende da leitura que os investidores estrangeiros fazem da situação econômica do país. Normalmente, ele só acontece quando os investidores acreditam que a moeda está supervalorizada.

Logo, nesse caso eles vendem a moeda local antes da desvalorização e compram a moeda referência.

Sendo assim, quando uma determinada economia tem pouca credibilidade perante o mercado internacional, pode-se concluir que o risco de sofrer ataques cambiais aumenta, pois ela terá dificuldade em se defender.

Isso acontece principalmente quando o país com uma moeda fraca em termos econômicos, e reservas internacionais insuficientes para fazer frente à desvalorização,

Causas e consequências de um ataque especulativo

ataque especulativoA fragilidade e vulnerabilidade das políticas econômicas associada a crises sistêmicas e expectativas negativas perante os investidores estrangeiros pode ocasionar um ataque cambial.

Essa situação pode ser ocasionada por diversos fatores macroeconômicos. Dentre os principais, podemos citar:

  • Déficits recorrentes na Balança Comercial, quando as exportações são inferiores às importações;
  • Aumento na relação Dívida pública/PIB. Isso transmite ao investidor estrangeiro a ideia de que o país não vai conseguir honrar seus compromissos;
  • Baixo nível de reservas internacionais para manter o câmbio estável.

Como consequência, o sistema econômico se retroalimenta negativamente. Logo, o ataque especulativo pode provocar uma redução ainda maior no nível de reservas internacionais e aumento exagerado na taxa de juro. Dessa forma, o resultado final pode ser uma possível desestabilização e retração da economia.

Mecanismos de proteção contra um ataque especulativo

Alguns instrumentos de política monetária podem ser utilizados para se proteger e até mesmo conter um ataque cambial. Dentre as principais formas de proteção contra ataques especulativos, podemos citar:

  • Alta na taxa de juros básica da economia;
  • Venda de swap cambial por parte do Banco Central;
  • Fortalecimento da indústria nacional com o objetivo de manter o saldo positivo na Balança comercial;

No entanto, não há um único remédio efetivo no combate ao ataque cambial. A situação só melhora dentro de um contexto de readequação e realinhamento das políticas econômicas. Com elas,  os investidores estrangeiros passam a aumentar a confiança no país.

Ataques especulativos no Brasil

O Brasil sofreu, ao longo de sua história econômica, uma série de ataques especulativos. Dentre esses, um dos mais significativos se refere à crise cambial de 1999.

O país já se encontrava com a economia desestabilizada em virtude de crises financeiras ao redor do mundo. Além disso, uma série de medidas econômicas internas contribuíram para deixar o cenário ainda mais pessimista.

Diante disso, a mudança do regime cambial para o sistema de flutuação cambial dentro de um regime de bandas cambiais se fez necessária. Entretanto, essa estratégia não obteve o êxito esperado, forçando o Banco Central a vender ainda mais reservas internacionais para segurar o dólar.

A ineficiência dessa estratégia foi desastrosa para o País. Em virtude das grandes pressões e ataques especulativos, o Bacen teve que ceder a desvalorização cambial. Isso provocou uma desvalorização cambial foi superior a 40% somente em janeiro daquele ano.

Um ataque especulativo não é comum, mas pode acontecer a qualquer momento com as mais diversas moedas existentes. Logo, para se manter atualizado sobre a situação dos mercados cambiais ao redor do mundo, se inscreva-se em nosso canal do Whatsapp e receba gratuitamente, no seu celular, as principais notícias sobre economia e mercado financeiro.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

206 artigos
Ações

FIIs

53 artigos
FIIs

GARANTA ACESSO AOS DESCONTOS EXCLUSIVOS DA CYBERWEEK

não perca tempo! As ofertas terminam em:

DIAS
 HOR
 MIN
 SEG

CLIQUE NO BOTÃO ABAIXO PARA ACESSAR AS OFERTAS: