aplicações financeiras

Dentro do mercado de capitais existe uma quantidade bastante grande de aplicações financeiras diferentes disponíveis para serem escolhidas.

Alguns exemplos dessas aplicações financeiras podem ser: fundos mútuos, ETFs, ações, títulos públicos, FIIs, CDBs, entre outras.

Desse modo, podemos definir as aplicações financeiras como sendo ativos que estão disponíveis no mercado com o objetivo de gerar retorno financeiro ao seu detentor ao longo do tempo.

No entanto, o retorno dessas aplicações nunca deve ser tido como sendo 100% seguro, pois sempre estarão sujeitos a riscos de não atingir os resultados esperados pelo seu aplicador.

Dessa forma, para mitigar parte dos riscos de algumas modalidades de investimentos financeiros em renda fixa, foi criado o Fundo Garantidor de Créditos – FGV.

Tipos de aplicações financeiras

aplicações financeiras

Tipos de aplicações financeiras

Como já foi dito, podemos ter uma variedade bastante grande de investimentos financeiros, de modo que esses possam servir para uma série de objetivos diferentes, tais como aposentadoria, educação para os filhos entre outras necessidades futuras.

Logo abaixo listamos algumas das principais aplicações disponíveis no mercado:

  • Ações: A aplicação em ações dá ao comprador a oportunidade de poder participar dos resultados oriundos de um negócio. Os rendimentos oriundos dessa aplicação podem ser tanto da valorização das cotas detidas pelos acionistas quanto pelos proventos pagos ao longo do tempo. Ao comprar uma ação, o investidor terá direito de voto na assembleia de acionistas quando as mesmas ocorrerem.
  • Títulos do tesouro: Também conhecido como Tesouro Direto. Esse investimento financeiro foi criado pelo Governo Federal com o objetivo de financiar as suas atividades. A remuneração desses títulos se dá através do pagamento de juros mais a devolução do montante principal no final do prazo da aplicação.
  • Fundos de investimento: veículo de investimento que é gerenciado por um gestor profissional do qual irá captar os recursos de investidores e aplica-los em ações, títulos, e outros tipos de investimentos que o mesmo julgar oportuno naquele momento.
  • FIIs (fundos imobiliários): os FIIs são um tipo bastante interessante e rentável de participar dos rendimentos oriundos de imóveis físicos ou aplicações de origem imobiliárias tais como LCI, CRI e CRA. Semelhante como ocorre com as ações, o capital de um fundo imobiliário é dividido em cotas, que são negociadas em bolsa de valores.

Melhores aplicações financeiras para o longo prazo

aplicações financeiras

Melhores aplicações financeiras para o longo prazo

Antes de começarmos a comentar quais são os melhores investimentos, gostaríamos de dizer que somente com uma visão de longo prazo é que o verdadeiro investidor conseguirá colher sólidos frutos em suas aplicações.

Isso acontece porque no curto prazo, as aplicações financeiras podem oscilar bruscamente de modo que fujam dos fundamentos que embasam o racional de um investimento.

Desse modo, sob uma análise fundamentalista de longo prazo, podemos dizer que o investimento em ações de boas empresas, apesar de sofrer oscilações diárias, esse ainda oferece um dos melhores retornos aos investidores no decorrer das décadas.

Além disso, os fundos imobiliários bem geridos também podem oferecer ótimos rendimentos mensais aos investidores que se propõem a aplicar nesse papel.

Por fim, podemos concluir que as aplicações financeiras existentes podem ser as mais variadas possíveis, porém o desempenho colhido pelos investidores com as mesmas somente apresentará um retorno sólido e satisfatório no longo prazo.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.