análise de viabilidade
Por: Tiago Reis

Por que fazer a análise de viabilidade de um negócio é tão importante?

Investir em um novo projeto sempre traz consigo um risco considerável – já que é impossível saber, com total certeza, se o investimento vai dar certo. Mas para ajudar nessa situação, existe uma ferramenta indispensável que todo bom investidor aplica antes de tomar sua decisão: a análise de viabilidade financeira e econômica.

É de conhecimento geral que fazer uma análise de viabilidade econômica e financeira é essencial antes de investir. Contudo, mesmo sendo um consenso entre os investidores, poucas pessoas sabem realmente como realizar essa análise da forma correta.

O que é a análise de viabilidade econômica e financeira?

A análise de viabilidade econômica e financeira é um estudo para avaliar se o investimento em uma determinada atividade é viável ou não. Em outras palavras, essa análise compara o investimento demandado com os retornos que ele pode gerar, para decidir se vale a pena ou não investir.

A viabilidade financeira procura relacionar o investimento total necessário para iniciar o projeto (capital inicial), os seus custos correntes fixos e variáveis para mantê-lo, com os rendimentos que ele pode gerar com o tempo. Portanto, se os custos forem menores que as potenciais receitas em um período de tempo, e se estas conseguirem se estabelecer de forma sustentável a partir de um momento, o projeto é viável financeiramente.

Já a viabilidade econômica analisar as vantagens e benefícios do projeto. Ao contrário da viabilidade financeira, que apenas analisa verticalmente o investimento e a potencial lucratividade do projeto, a viabilidade econômica possui um escopo mais horizontal e comparativo. Sendo assim, ela avalia como está o projeto em relação outras oportunidades com risco igual ou menor, para saber se a sua rentabilidade é atrativa ou não.

Como realizar uma análise de viabilidade econômica e Financeira?

Existem diversas formas para analisar a viabilidade econômica e financeira de um projeto, cada uma com suas vantagens e particularidades. Entretanto, em toda análise desse tipo, existem alguns pontos comuns que devem ser observados. Portanto, para encontrá-los, é preciso ter em mente algumas questões básicas:

  • Quanto capital é necessário para aportar no projeto?
  • Em qual atividade esse capital será investido?
  • Qual é necessidade de caixa que o projeto irá demandar quando estiver operando?
  • Quais são as despesas e receitas esperados para o projeto no futuro, em curto, médio e longo prazo?
  • Quanto será o rendimento do capital investido?
  • Qual a rentabilidade de outras alternativas com risco igual o menor do projeto?
  • Quando o projeto espera superar seus custos e começar a lucrar (breakeven)?

Etapas da análise de viabilidade econômica e financeira

Tendo em vista as questões acima, é possível desenvolver uma análise básica de viabilidade econômica e financeira seguindo as seguintes etapas:

Projeção de receitas, custos, despesas e investimentos

A projeção de receitas é uma estimativa da capacidade do projeto gerar dinheiro com o tempo. Entretanto, para que essa projeção faça sentido, é preciso ser realista, avaliando não só o projeto em si, mas o estado do mercado onde ele se encontra. Portanto, é preciso conhecer como funciona o segmento de atuação e considerar a sazonalidade do setor e da economia.

Assim como as receitas, os custos, despesas e investimentos também precisam ser estimados. As duas projeções são intimamente relacionadas – ou seja, se a previsão é de crescimento das receitas de um período para outro, os custos também deverão crescer na mesma proporção. Além disso, é necessário balancear os custos fixos com os custos variáveis do projeto. Dependendo da atividade, um pode ser muito maior do que o outro, e vice-versa.

Projeção dos fluxos de caixa futuros

O fluxo de caixa é a entrada e saída constante de dinheiro da empresa. Dentro da análise de viabilidade, o fluxo de caixa do projeto para o futuro é estimado pela diferença entre as projeções das receitas e das despesas. Ou seja, se o projeto gasta constantemente mais do que recebe, seu fluxo de caixa está apertado, e provavelmente ele não será viável financeiramente.

Análise de indicadores

Após projetar as receitas, custos, despesas e investimentos e encontrar os fluxos de caixa futuros, a análise de viabilidade passa para o cálculo de indicadores econômicos e financeiros. A princípio, é por meio deles que serão indicadas a rentabilidade, a expectativa de lucros, o tempo necessário para recuperar o investimento e a própria viabilidade do projeto.

Os principais indicadores para realizar essa análise são:

  • Payback: indicador que mostra quanto tempo levará até o investimento se pagar.
  • TMA – Taxa Mínima de Atratividade: rentabilidade mínima para o investimento ser atrativo, em comparação com outras oportunidades com risco menor disponíveis no mercado;
  • Valor Presente Líquido (VPL): indicador que traz todos os fluxos de caixa para uma mesma data e os desconta com a Taxa Mínima de Atratividade.
  • Taxa Interna de Retorno (TIR): rentabilidade própria do projeto. Para a análise de viabilidade ser minimamente positiva, a TIR precisa ser maior que a TMA.
Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Invista Como
Warren Bufeett

Aprenda a usar a estratégia do Value Investing, usada pelo maior investidor do mundo!