Receber dividendos em moeda forte tem uma vantagem que é pouco comentada: os brasileiros que possuem ativos que geram renda em moeda forte recebem mais reais como dividendos em momentos de alta do dólar.

E como a alta do dólar quase sempre vem junto com momentos de stress no cenário nacional, geralmente então se recebe mais dividendos em momentos de crises internas quando se investe no exterior.

O investimento em dólar atua de maneira anticíclica: gera mais renda quando tudo cai no Brasil.

Desta forma, se você recebe $100 de dividendos de ações do Mc Donald´s, se o dólar passa de R$3,00 para R$4,00, os seus dividendos em moeda local passam de R$300 para R$400.

Crises às vezes impactam na lucratividade das empresas no Brasil. E os indivíduos possuem despesas faça chuva ou faça sol. Se você possui ativos americanos que te geram renda em moeda forte, a sua renda total de dividendos sofre menos oscilação em momentos de instabilidade econômica no Brasil.

E esses momentos de instabilidade irão sempre existir, apesar de que no longo prazo a economia costuma crescer.

A carteira previdenciária dos sonhos seria composta por ativos que geram renda oriundas de diversas fontes, entre elas destaco: ações, small caps, fundos imobiliários e ações estrangeiras.

Cada uma dessas fontes de renda possui suas características únicas. Atuando de maneira combinada o investidor irá ter uma renda suavizada e crescente ao longo dos anos.

E se você se interessa por dividendos, tenho uma boa noticia. Ontem eu tive acesso as primeiras versões do Guia Suno Dividendos na versão impressa. 

Ao longo das próximas semanas as primeiras unidades serão entregues as principais livrarias do Brasil.

Devemos realizar um evento de lançamento também. Irei convidar a todos quando eu tiver os detalhes do evento. Nossa intenção é fazer o lançamento no Rio de Janeiro e São Paulo.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.