Por: Tiago Reis

A importância da margem de segurança

“(…) a função da margem de segurança é, em essência, tornar desnecessária uma estimativa precisa do futuro.”

Benjamin Graham

 

Quando Warren Buffett foi questionado, na reunião anual dos acionistas da Berkshire Hathaway de 1997, sobre quais foram os impactos de Benjamin Graham em sua filosofia de investimento, Buffett respondeu, “olhar para ações como empresas; ter uma atitude adequada perante o mercado; e operar com margem de segurança”.

A margem de segurança é fundamental na abordagem de investimento em valor. Pense na seguinte analogia. Você vai atravessar uma ponte que suporta até dez toneladas, e tem duas opções, atravessá-la com um caminhão de nove toneladas ou com um carro de uma tonelada. Certamente você não gostaria de correr o risco com o caminhão. Seria mais confortável atravessar a ponte com um carro pequeno.

Quem investe em valor acredita que o preço muitas vezes diverge do valor intrínseco, deste modo podemos carregar a analogia da ponte para o investimento. A capacidade da ponte é o valor do ativo e o peso do veículo é o preço.

Quanto mais descontado estiver o preço em relação ao valor, maior a margem de segurança do investimento.

Devido ao fato da economia ser extremamente complexa, dinâmica e imprevisível, a análise do valor de uma empresa se baseia em premissas que podem não se concretizar. Deste modo, quando o investidor adquire um ativo muito descontado, mesmo que suas premissas não se concretizem, a probabilidade de perda de capital é minimizada pela margem de segurança.

Segundo Seth Klarman, autor do livro Margin of Safety: Risk-Averse Investing Strategies for the Thoughtful Investor, Benjamim Graham compreendeu que a volatilidade no preço do ativo não estava atrelada ao seu valor e um ativo que hoje vale R$1,00 pode ser negociado a R$0,75 ou R$1,25 em um futuro próximo.

Assim, o investidor não deseja pagar R$1,00 por R$1,00 de valor. Não há vantagem em fazer isso. A vantagem está em comprar o ativo com preço descontado em relação ao valor. Digamos, por exemplo, pagar R$0,25 por R$1,00 de valor.

De acordo com Graham, “a margem de segurança sempre é dependente do preço pago. Para qualquer ativo, ela será grande a certo preço, pequena em um preço maior e inexistente em um preço ainda maior.”

Mas qual é o tamanho da margem de segurança necessária para realizar o investimento?

Essa não é uma pergunta trivial. Muitas vezes, o risco associado ao investimento dita o tamanho da margem de segurança necessária. O perfil do investidor também influencia neste ponto. Investidores mais agressivos tendem a aceitar margens menores do que investidores mais conservadores.

Entretanto, margens de segurança menores significam, segundo Graham, risco maior e retorno menor. Portanto, quem investe em valor deve ser paciente e buscar as raras oportunidades onde o risco é pequeno devido ao grande desconto do preço em relação ao valor intrínseco do ativo.

Seth Klarman, investidor bilionário e autor do livro supracitado, conclui que investimento em valor é simples de entender, porém difícil de implementar.

A dificuldade vem da necessidade de disciplina, paciência e julgamento. Disciplina para evitar as oportunidades pouco atraentes, paciência para esperar a oportunidade certa e julgamento para saber qual é o momento de investir.

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.

Nenhum comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais...
Outras Seções

Ações

207 artigos
Ações

FIIs

54 artigos
FIIs

eBook Gratuito

Manual do Investidor

Tudo o que você precisa para dar os primeiros passos na Bolsa de Valores

eBook Gratuito

Invista Como
Warren Bufeett

Aprenda a usar a estratégia do Value Investing, usada pelo maior investidor do mundo!