Pode parecer clichê falar em diversificação quando se fala em investimentos, mas diversificação talvez seja uma das atividades mais importantes da atividade de investir.

Vamos supor que você invista somente em empresas do segmento de carnes. Se por algum motivo os produtores brasileiros ficarem proibidos de exportar carnes, provavelmente todas as empresas que você investe irão perder valor e seu portfolio irá sofrer perdas significativas.

Por outro lado, se você balancear o seu portfolio de ações de empresas de carnes com outras ações do segmento bancário, somente uma parte do seu patrimônio irá perder valor.

Você pode, inclusive, diversificar ainda mais longe do Brasil, investindo em ativos no exterior que possuem uma correlação baixa com as ações brasileiras.

Quanto mais as empresas tiverem baixa correlação melhor. E esta medida pode ser tirada de maneira intuitiva. Basta você se perguntar “quanto o ativo X tem de correlação com o ativo Y?”

“Quanto de correlação o Itaú tem com o desempenho da Disney?”

Provavelmente é uma correlação baixa: um é um banco no Brasil e o outro é uma empresa de entretenimento e mídia global. Desta forma, talvez faça sentido dentro de um portfolio que busca diversificação ter ações destas duas empresas, que são excelentes empresas para se investir.

É também importante diversificar em classes de ativos diferentes: como renda fixa, ações e fundos imobiliários. Uma combinação destes ativos irá reduzir à sensibilidade da sua carteira as variações do mercado, que são violentas no Brasil.

Eu não me importo muito com as variações de curto prazo, mas reconheço que nem todos os investidores são assim, e para a maioria é importante ter um controle da volatilidade na carteira.

Desta forma, se uma parte do seu portfolio não for bem, certamente outra parte do portfólio irá performar melhor.

Infelizmente, nem o melhor investidor do mundo está sujeito a perdas. O próprio Warren Buffett fez um investimento em IBM, que apresentou perdas de 20-30%. Isso significa que o Buffett é um investidor ruim? Jamais, muito pelo contrário.

Buffett sabe que não existe garantia de que irá ganhar em todo investimento, portanto ele diversifica. Ele investiu na IBM, mas também investe em outros 50 negócios, muitos deles de empresas de capital fechado.

Buffett sabe que todo investimento está sujeito a perdas e, por isso, diversifica.

Quantos ativos investir?

Em termos de diversificação, possuir duas ações é melhor do que possuir uma. Mas o ideal é possuir algo como 15 e 20 ativos, dispersos nas mais variadas indústrias.

Obviamente, uma consequência de se ter este numero de ações é que uma ação irá dobrar de valor e outra irá perder valor.

E é natural o pensamento surgir “Eu não deveria ter investido na ação que caiu, e deveria ter concentrado na ação que subiu”.

O problema deste pensamento é que fica fácil de tirar esta conclusão depois do ocorrido.

Certamente, se você investe em ações em uma carteira diversificada você terá uma grande alta e uma perda no seu portfolio. Mas você sabe qual das ações que vão subir? Quais vão cair?

Se você souber, basta comprar as ações que sobem e vender as que irão cair. O problema é que na prática isso é impossível.

Somente a diversificação para salvar o investidor da volatilidade do mercado e dos ativos individuais.

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.