Acesso Rápido

    8 Lições para o Investidor da Carta de Warren Buffett

    8 Lições para o Investidor da Carta de Warren Buffett

    Warren Buffett, o maior investidor de todos os tempos, todo ano brinda os investidores do mundo todo com sua famosa carta aos acionistas da Berkshire Hathaway, a empresa gerida por ele e seu braço direito Charlie Munger. Na carta ele discorre sobre os resultados anuais de sua empresa e traz excelente lições para os investidores. Tanto para os novatos quanto para os mais experientes, a carta é leitura muitíssimo recomendada. Aqui estão 8 lições que se pode aprender ao ler a sua versão de 2017:

    O PERFIL DE NEGÓCIOS QUE ELE BUSCA:

    Buffet descreve na carta o perfil de negócios que ele busca para investir. Segundo ele é um negócio com vantagens competitivas duráveis, gestão hábil e de alto nível, alta rentabilidade, com margem para crescimento de forma rentável e por fim, que seja adquirido um preço razoável. Vamos discorrer sobre cada pré-requisito definido pelo mago de Omaha para fazer aquisições.

    Vantagem competitiva:

    Pode ser definida como o fator que diferencia uma empresa de sua concorrência. Uma empresa que possui grandes vantagens competitivas provavelmente será a líder do seu mercado, e com certeza estará no mínimo entre as maiores do setor.

    Para termos um exemplo de investimento prático do próprio Buffet, vamos falar sobre a Apple. A Apple é uma das empresas com maior vantagem competitiva do mundo, isto vem do fato que ela produz produtos que são tão bons que o consumidor se dispõe a pagar muito mais pelo seu produto do que pelo equivalente de outra marca.

    Além disso, a empresa possui um sistema operacional muito fácil de utilizar que sincroniza com todos os seus outros aparelhos, garantindo assim uma experiência única para o seu cliente.

    É muito comum que pessoas que usam produtos Apple não tenham apenas um aparelho da empresa, mas sim mais de um. O cliente do iPhone pode possuir um iPad, um MacBook ou uma Apple TV.

    É também comum que o seu cliente não esteja disposto a trocar o produto Apple por um de outra marca, pois ele se acomoda com o sistema operacional muito prático  e sincronizado com todos os seus aparelhos. Todos estes fatores garantem vantagens competitivas à empresa, e isto é um dos fatores que levam a Berkshire Hathaway a ser uma das maiores acionistas da Apple.

    Gestão Hábil e eficaz:

    Warren Buffett deixa claro em sua carta a importância de ter uma gestão de excelência no comando de uma companhia. Segundo ele, investir em pessoas algumas vezes pode ser melhor do que investir em ativos físicos.

    Mais uma vez ele tem razão. A gestão possui imensa importância no resultado de uma companhia, decisões importantes podem definir o sucesso ou o fracasso de uma empresa. É importante, por isto, que ao se escolher uma empresa para se investir você verifique quem são os controladores, quem são os gestores, e qual o histórico de criação de valor destas pessoas.

    Ao longo dos anos grandes gestores foram responsáveis por conduzir empresas ao sucesso. Um ótimo exemplo é a Ambev, a empresa conseguiu com uma gestão muitíssimo hábil e eficaz realizar grande crescimento da companhia, com redução de custos e aumento de margens. Se Buffet fosse brasileiro, ele provavelmente compraria ações da Ambev quando elas estivessem baratas.

    Alta rentabilidade:

    A alta rentabilidade costuma ser uma consequência da vantagem competitiva. Uma empresa com fortes vantagens competitivas pode vender o seu produto por um preço muito acima da concorrência e ainda ser encontrar um público cativo, como é o caso da Apple.

    Outra forma de uma empresa conseguir alta rentabilidade é enxugando ao máximo os seus custos, como tem feito a Ambev. E alta rentabilidade ao fim é fruto de decisões acertadas de uma ótima gestão.

    Margem para crescimento de forma rentável:

    Negócios com espaço para crescer de forma rentável tendem a ser uma boa aquisição para o investidor. Buffet, ao falar sobre sua empresa do setor de corretagem de imóveis, e comemorar o fato de que ela agora atingiu 3% do mercado e é a segunda maior do país, diz ”ainda a mais 97% por vir”. Isto mostra a importância de buscar bons negócios e que ainda tenham espaço para crescer.

    Um bom exemplo de uma empresa que vem crescendo no Brasil de forma bastante rentável é o Banco ABC. O Banco nos últimos 10 anos mais do que quadruplicou seus ativos, e enquanto crescia manteve sua margem de rentabilidade alta. Como prevê Buffet, o resultado disto não poderia ser outro senão grande criação de valor ao acionista. O retorno da ação nos últimos 10 anos tem sido excelente.

    Preço Razoável:

    Digamos que você adquire ações de uma empresa que irá crescer o lucro por 50% ao ano nos próximos 10 anos. Você então fez um ótimo negócio, correto?

    A resposta é depende.

    De nada adianta você ter comprado um negócio que irá crescer o lucro 50% ao ano se no preço daquele ativo está incorporado que o lucro vai crescer 100% ao ano. Neste caso, o crescimento real apresentado ficaria abaixo das expectativas do mercado, e isso não irá favorecer a ação.

    Portanto, além de se certificar que o investimento preenche todos os requisitos acima, é importante também que o investidor não pague caro por um ativo, pois o preço é determinante final do resultado de um investimento. Mesmo empresas boas podem ser más negócios se compradas a preços exageradamente altos.

    Obviamente, negócios que preenchem todos os pré-requisitos de Warren Buffett são raros, mas é por isso que ele tem tanta assertividade em suas compras e é o maior investidor de todos os tempos. Seguindo estas regras, dificilmente o investidor fará um mau negócio.

    Trate as ações como negócios:

    Muitos investidores observam o código das ações no home broker e acreditam que ali está a criação de valor para o acionista. Buffet nos mostra que o importante não é que o investidor foque na variação de preço do ativo, mas sim no negócio em si.

    Ele simplesmente acredita veementemente no sucesso das empresas em que investe, e se as empresas que ele investe tiveram sucesso, o seu investimento também terá. Em alguns momentos ele irá ganhar muito dinheiro, em outro o retorno será modesto e ocasionalmente até irá cometer alguns erros. Mas na média Buffet acredita que ao investir em empresas de sucesso, com foco voltado para o longo prazo e na criação de valor para o acionista, ele também terá sucesso.

    Aqui vale uma analogia para percebermos a irracionalidade que é focarmos na variação do preço do ativo e não no ativo em si: Digamos que você leitor possua uma padaria, você iria todo dia calcular o valor de mercado de sua padaria ou iria se preocupar com o fluxo de caixa dela e em torná-la lucrativa? Imagino que a segunda resposta, pois é ali onde está o seu resultado final.

    No entanto, o que muitos investidores fazem é simplesmente o contrário, focam somente na oscilação do ativo, talvez muito pela facilidade que é checar aquele valor todo dia através da internet.

    Buffet nos traz a valiosa lição de olhar para onde está a verdadeira criação de valor. Esqueça a volatilidade de curto prazo, ações não andam em linha reta, mas no longo prazo boas empresas tendem a ser bons negócios para seus acionistas.

    Você Vai Cometer Erros

    Se o maior investidor do mundo assume que irá cometer erros em suas decisões é bastante plausível imaginarmos que nós também iremos cometer. Durante o texto Buffet fala sobre uma aplicação que realizou em títulos do governo americano a para realizar uma reserva de capital. Ao longo desta aplicação, ele percebeu que devido ao seu baixíssimo rendimento e aos preços razoáveis das ações de sua própria empresa, a Berkshire Hathaway, faria mais sentido vender os títulos do governo americano e aplicar em ações de sua empresa. Pois bem, assim ele fez e seu retorno foi fenomenal.

    Podemos aprender que ao longo de nossa jornada como investidor tomaremos decisões que não serão as mais sábias naquele momento, e isto é perfeitamente normal. Somos humanos, cometemos falhas por mais que nos esforcemos ao máximo para não as cometer. Em caso de uma decisão errada de investimentos o correto a se fazer é termos, assim como Buffet teve, a humildade de reconhecermos nossos erros. A partir daí podemos observar a situação com a frieza necessária para tomarmos uma nova decisão.

    Mercados otimistas podem estimular más decisões

    Buffet discorre sobre o recente otimismo observado nos últimos anos nos mercados, e como isto pode levar os agentes do mercado, em especial os investidores, a tomarem péssimas decisões. Em um cenário de crescimento econômico, com juros baixos, muitas empresas passam a captar grandes quantidades de dívida de forma a financiarem o seu crescimento ou a realizar aquisições. O problema deste cenário é que se ocorrer uma forte virada no mercado, onde os juros subam rapidamente, o endividamento das empresas cresceria de forma exponencial e algumas empresas podem acabar com ativos que se tornaram verdadeiros micos.

    Um exemplo real do que nos passa Warren Buffet é o que ocorreu com a Petrobras no último “boom” do petróleo. Em meio a um cenário extremamente otimista a empresa projetou um cenário de grande crescimento no futuro que acabou por não ocorrer. Para este cenário a empresa realizou a compra de ativos extremamente caros que hoje acabaram por dar um prejuízo muito grande à companhia que só agora começa a dar sinais de recuperação.

    Buffet também alerta para o mecanismo de incentivos no mercado financeiro que colabora para gerar uma percepção que o mercado em alta pode durar para sempre. Em geral todos os agentes participantes do mercado querem que os ativos continuem subindo. Os CEO’S das empresas ficam animados com a possibilidade de realizar mais aquisições, os banqueiros ficam esperançosos por mais remunerações por fusões, os corretores querem um mercado de ações cada vez mais aquecido. Mas muito embora o mercado esteja desenhado desta forma, o otimismo simplesmente não pode durar para sempre, o mercado uma hora vai cair e o investidor deve estar preparado para isto.

    Mercado em alta significa menos oportunidade:

    A Berkshire Hathaway não realizou nenhuma grande aquisição no ano de 2017. Isto é porque mesmo que o mercado esteja em uma onda de otimismo geral, Buffet simplesmente não encontrou bons ativos a bons preços para adquiri-los. Conforme as cotações vão subindo o Everest, o oxigênio das oportunidades se torna mais escasso.

    Tenha paciência e esteja preparado:

    A Berkshire Hathaway mantém hoje 116Bi de dólares em caixa como liquidez para realizar aquisições. Buffet sabe que uma hora a oportunidade irá surgir, e desta forma ele está preparado. Quando o mercado virar, enquanto todos os outros investidores estarão preocupados com a queda de seus ativos, Buffet estará tranquilo sabendo que aquele é o momento para comprar que ele tanto esperava.

     

    Para o investidor pessoa física, cabe fazer a analogia da importância de mantermos sempre uma reserva de nossos recursos em um investimento de alta liquidez e baixo risco de forma a aproveitar eventuais oportunidades no mercado.

    Tome as decisões fáceis e evite o giro de sua carteira

    Os bons investimentos devem ser tão óbvios que você não terá que pensar tanto sobre. Warren Buffett é um adepto da simplicidade. Ele recomenda que você evite equações complexas ou termos extremamente técnicos. Ao invés disso, foque no que realmente importa, nos fundamentos da companhia em que você está investindo e se o preço que você está pagando por aquela participação é razoável. Fazendo isto, você já deu um grande passo para ter um investimento de sucesso. Os maiores acertos vêm por evitar os grandes erros.

    Outro fator é importante que Buffet relembrar é de não girar muito a sua carteira de investimentos. Como adepto da filosofia Buy and Hold, ele recomenda que você compre boas empresas e a mantenha enquanto elas permanecerem boas empresas. Além disso, que aproveite as oportunidades de turbulência do mercado para reforçar suas posições e adquirir ativos por preços abaixo de seu valor intrínseco.

    A Volatilidade é normal

    Por fim Buffet nos relembra de uma característica inerente ao mercado de ações, a volatilidade. As ações simplesmente oscilam bruscamente de preço mesmo que não haja nenhuma mudança em seu valor intrínseco. Nas palavras de Buffet “Embora o mercado seja geralmente racional, ele ocasionalmente fará coisas malucas”. O investidor deve, portanto, aceitar este fato e ainda utilizá-lo ao seu favor. O verdadeiro investidor é um apreciador da volatilidade, pois sem ela não haveria imensas oportunidades de compra de tempos em tempos.

    Para ilustrar como o mercado pode agir de forma completamente irracional ocasionalmente Buffet mostra as quedas que as ações da própria Berkshire Hathaway sofreram em momentos de crise:

    Observe as quedas de até 59% no valor da companhia. Momentos como este são os ideais para comprar ótimas empresas.

    Por fim, para conscientizar o investidor da volatilidade e da importância de nos mantermos calmos e pacientes, Buffet nos deixou um poema:

    “Se você conseguir manter sua cabeça fria quando todos ao seu redor a estiverem perdendo…

    Se você conseguir esperar e não se cansar esperando…

    Se você consegue pensar – e não fazer dos seus pensamentos seus objetivos…

    Se você consegue confiar em você mesmo quando todos os outros duvidam de você…

    Então seu é o mundo e tudo que há nele”

    E você, o que achou das lições que Warren Buffett nos trouxe este ano? Qual a sua lição preferida? Escreva nos comentários!

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    2 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Jackson Fernandes 30 de agosto de 2019

      O comportamento define Tudo! Levante-se cedo todo dia!

      Responder
    • Pedro Henrique 1 de dezembro de 2019

      Onde eu consigo encontrar as cartas que o warren faz?

      Responder