AnalisesInvestimentos

02 Fundos de Fundos (FOFs) como alternativa aos investidores

By 21 de dezembro de 2017 No Comments
Fundos Imobiliários 2018 – Perspectivas e visão do futuro

Boa parte das Gestoras de Recursos possuem Fundos de Fundos em suas prateleiras como alternativas a serem oferecidas para quem busca diversificação profissional.

Estes ativos são conhecidos no jargão de mercado como “FOFs”, e podem funcionar como alternativa não só a pequenos investidores, como também aos institucionais que desejam alocar parte de seu patrimônio no mercado imobiliário (Real Estate).

Ontem, tivemos a publicação de um fato relevante referente a um dos mais populares FOFs do mercado, cuja gestão é feita pelo BTG Pactual – BCFF11.

A Administradora informou que recebeu pouco mais de R$ 4 milhões referente à restituição de imposto de renda auferido em alienações de cotas de fundos imobiliários presentes em carteira.

Podemos considerar este evento uma grande vitória aos Fundos de Fundos em geral, mas ainda é cedo para qualquer análise plenamente conclusiva.

Mas qual a real finalidade de se investir em FOFs?

Em primeiro lugar, avaliar a qualidade da gestão e sua capacidade histórica de entregar resultados consistentes. Além disto, avaliar os custos médios é também um ponto importante a ser lembrado.

Hoje, vamos trazer a vocês 02 Fundos de Fundos que, apesar da liquidez mais limitada, possuem retorno histórico bastante consistente e vem se mostrando alternativas interessantes a serem observadas.

Entendemos que os investidores que estão querendo investir em Fundos Imobiliários podem “testar” este tipo de alternativa justamente selecionando alguns destes FOFs citados neste artigo.

Claro, investidores com mais experiência buscam estratégia própria de alocação e seleção de ativos. Alguns, inclusive, tem segurança suficiente para comprar a vender fundos buscando gerar resultados acima da média do mercado.

CXRI11 – Caixa Rio Bravo Fundo de Fundos

Ao que tudo indica, este FOF deverá passar por uma emissão em breve, mas desde seu IPO é possível perceber que a Gestão a 04 mãos entre Rio Bravo e CEF buscaram trazer retorno consistente aos seus cotistas.

Abaixo, a carteira de CXRI11:

Carteira CXRI11

Destacamos as maiores posições: HGBS11, TBOF11, SAAG11, MXRF11 e BBPO11.

O fundo negocia hoje com desconto patrimonial na ordem de 5%.

O DY nos últimos 12 meses de CXRI11 foi de 8,7%, o que consideramos ser bastante razoável e observe no gráfico abaixo que, desde o seu IPO, o fundo vem conseguindo superar o 100% do CDI, além da grande aderência ao IFIX.

Retorno CXRI11

TFOF11 – CSHG Top FOF2

Já com 02 anos de história, este é sem dúvida o FOF com maior “atividade” em sua estratégia de alocação e geração de ganho de capital para o cotista.

O “problema” dele é mesmo a liquidez a qual é ainda bastante limitada. A nossa visão é que o Gestor deverá fazer em algum momento uma nova emissão de cotas, a fim de aumentar a base de cotistas e mitigar o efeito da baixa liquidez.

Abaixo, a carteira de TFOF11:

Carteira TFOF11

Desconsiderando sua posição em FOFT11, que também é um fundo de fundos com gestão de “casa”, as maiores posições são: HGBS11, CEOC11, BBPO11, FIIB11 e WPLZ11B.

O fundo negocia hoje em linha com seu valor patrimonial.

O DY nos últimos 12 meses de TFOF11 foi de 9,8%, o que consideramos ser muito bom, além do fato de que este FII vem conseguindo superar com certa folga o 100% do CDI e o próprio IFIX.

Retorno TFOF11

Compartilhe a sua opinião
Tiago Reis

Tiago Reis

Formado em administração de empresas pela FGV, com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro, foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research.